Clipping

Artigo: ” O berço da inovação”




O setor tecnológico da Grande Florianópolis conta com 900 empresas. Em 2015, ano em que o PIB do Brasil recuou 3,8%, o polo da Capital catarinense foi o que mais cresceu no país: 6,9 % de aumento no número de colaboradores. O posicionamento de Florianópolis no mesmo ano como a segunda cidade mais empreendedora do país, segundo a Endeavor, não é à toa. Os índices de inovação, capital humano e acesso a capital alavancam o município.

Mesmo em um ambiente favorável, empreender com sucesso não é tão fácil. Para auxiliar nesse desafio, a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) e o Sebrae/SC criaram, em 1998, a incubadora MIDI Tecnológico. O resultado da parceria é positivo — passados 18 anos o MIDI já conquistou três vezes o prêmio de melhor incubadora do Brasil, concedido pela Anprotec, e graduou 88 empresas.

Considerando as 19 startups que estão em fase de incubação e pré-incubação, 107 negócios já foram beneficiados pela instituição, número que representa 12% das empresas de tecnologia da Grande Florianópolis. Isso prova a importância de ambientes que estimulam a inovação e empreendedorismo para a economia regional.

O fortalecimento do universo das startups começa com o desenvolvimento do empreendedor. Acreditamos que equipes competentes têm uma chance maior de sucesso do que as que contam apenas com boas ideias, por isso, o perfil dos empreendedores é um fator fundamental no processo seletivo do MIDI.

A formação das equipes e a maturação das ideias inovadoras ocorrem por meio de mentorias, consultorias, disponibilização de infraestrutura e contato com redes de empresários e investidores. Esse modelo de incubação foi implantado pela primeira vez em Nova Iorque, em 1959, e no Brasil, já ajudou cerca de 2.500 empresas se prepararem para o mercado, segundo a Anprotec.

O sucesso das empresas graduadas espelham a relevância das incubadoras. Ao celebramos os 18 anos de trajetória do MIDI Tecnológico, reforçamos também o papel estratégico que essas instituições têm quando consolidadas em um ecossistema inovador. Sendo assim, assopra as velas nesta data não só o MIDI, mas o setor tecnológico catarinense como um todo.

*Por Gabriel Santos, Coordenador geral do MIDI Tecnológico. Artigo publicado originalmente no Diário Catarinense em 11/08/2016

(Por Gabriel SantosACATE , 22/08/2016)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.