Entidades e Vereadores debatem projetos para o desenvolvimento da cidade
14/08/2017
Professores do MIT estarão em Florianópolis para conferência sobre inovação em distribuição de energia
14/08/2017

Terreno da prefeitura vira lixão na Lagoa da Conceição, em Florianópolis

Um terreno da prefeitura de Florianópolis, na Lagoa da Conceição, tem servido de depósito para lixo pesado — móveis e eletrodomésticos quebrados, por exemplo —, escombros e materiais de construção da própria administração pública. Localizado ao lado de uma escola infantil, em uma das áreas mais valorizadas da capital catarinense, o terreno tem causado transtornos para a vizinhança e preocupações com a possibilidade de proliferação de animais transmissores de doenças, como ratos e insetos.

De acordo com a comerciante Donizetti Barata, de 62 anos, moradora de uma casa ao lado do terreno, caminhões da prefeitura entram e saem quase todos os dias transportando restos de poda de árvores, entulhos e móveis e eletrodomésticos quebrados.

— A prefeitura recolhe tudo que é resto de árvores, lixo, camas velhas, armários quebrados e estão jogando lá dia após dia. Minha filha está grávida de sete meses e nós temos que conviver com ratos e muitas moscas. Estou abismada com tudo isso — reclama Donizetti.

A intendência do distrito da Lagoa da Conceição, ligada à administração pública, reconhece que o terreno é utilizado como uma espécie de entreposto para a Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap), mas afirma que a situação está próxima de ser resolvida. Segundo o intendente João Carlos da Cunha, às sextas-feiras um caminhão percorre o bairro recolhendo esses materiais que a população descarta irregularmente nas calçadas e terrenos baldios, e depois a Comcap dá a destinação adequada.

— Estamos nos preparando para tirar todo esse material do terreno nas próximas duas semanas e, a partir daí, o local será usado apenas como depósito funcional para armazenar lajotas, areia, cascalho e outros materiais que usamos nas pequenas obras do bairro — afirma o intendente João, empossado em julho.

Descarte irregular em 170 pontos da cidade

Na semana passada, a Hora percorreu diversos bairros de Florianópolis e, sem muito esforço, encontrou verdadeiros lixões a céu aberto com todo o tipo de rejeitos. Segundo a Comcap, a capital catarinense tem cerca de 170 pontos de descarte irregular de lixo.

Na Lagoa da Conceição não é diferente — e isso é um dos fatores que levaram a administração pública a usar um terreno como entreposto para o serviço de coleta. Para o intendente do distrito, a população deveria se conscientizar sobre os problemas desta prática e tomar mais cuidado com o descarte daquilo que não quer mais.

— As pessoas não deveriam descartar o lixo em qualquer lugar. A Comcap tem um calendário para recolher esse lixo pesado e o ideal seria que o pessoal ficasse atento à essa programação — atenta João Carlos.

No site da prefeitura, a Comcap disponibiliza o calendário da coleta de resíduos volumosos (veja em aqui), como móveis e eletrodomésticos quebrados. Neste mês de agosto, a coleta passará pelo Campeche, Morro das Pedras, Areias do Morro das Pedras e Armação do Pântano do Sul.Vale lembrar que o descarte irregular de lixo é crime ambiental, previsto na lei federal 9.605/1998. Somente em 2016, a Comcap realizou mais de 700 notificações — uma média de quase duas por dia.Como fazer o descarte correto?

Para o descarte do lixo domiciliar, não há segredo. Basta ficar atento à agenda de coleta da Comcap, embalar o lixo direitinho em sacolas plásticas e colocá-los nos contentores disponíveis nas ruas e condomínios.

Quanto aos recicláveis, o ideal é que sejam separados por grupo — papéis, metais, vidros, plásticos, isopor, etc. A Comcap tem uma agenda de coleta de resíduos seletivos, mas é possível deixá-los diretamente em um dos quatro ecopontos disponíveis na cidade.

O que entregar nos Ecopontos?

– Eletrônicos: televisão, monitor, teclado, mouse, celular, impressoras, etc.- Entulho: resíduos de construção e demolição, como tijolos e telhas (até 1 m³ — volume de caixa d’água de mil litros)
– Madeira: até 1 m³ — volume de caixa d’água de mil litros
– Pilhas e baterias: até 10 unidades
– Óleo de cozinha: até cinco litros
– Pneus: até quatro unidades
– Podas de árvores: até 1 m³ — volume de caixa d’água de mil litros
– Recicláveis: plástico, papel, isopor, metais, arame, vidros, etc. (até 500 litros — cinco sacos grandes)
– Volumosos: móveis, sofás, colchões, etc. (até quatro volumes)

Endereços dos ecopontos

– Itacorubi: Rod. Admar Gonzaga, 72 — de segunda a sábado, das 7h às 19h, e domingo, das 7h às 12h

– Capoeiras: R. Prof. Egídio Ferreira, s/n — todos os dias, das 7h às 19h

– Monte Cristo: R. Joaquim Nabuco, 3000 — todos os dias, das 7h às 19h

– Morro das Pedras: R. Francisco Vieira, 198 — segunda a sexta, das 7h às 16h.

(DC, 12/08/2017)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *