Clipping

Bacia hidrográfica do Itacorubi, em Florianópolis, abriga dezenas de jacarés




Jacarés-de-papo-amarelo tomam sol diariamente no manguezal da bacia hidrográfica do Itacorubi, em Florianópolis. Nesta terça-feira (20), dois répteis foram flagrados no córrego no bairro Santa Mônica, próximo à avenida Beira-Mar Norte. Quem passa pelo local fica na obrigação de parar por alguns segundos e admirar os répteis. Segundo a educadora ambiental da Floram (Fundação Municipal do Meio Ambiente), bióloga Silvane Dalpiaz do Carmo, os jacarés são vistos cada vez com mais frequência devido a ampliação das áreas urbanas.

O aposentado Nei Silva, 73 anos, sempre pedala pela ciclovia da Beira-Mar e vê os animais. “Os jacarés estão aqui todos os dias e algumas placas sinalizavam a sua presença, mas elas desapareceram. Elas explicavam sobre a espécie e era uma aula de biologia a céu aberto”, disse.

Os répteis flagrados pela reportagem têm pouco mais de um metro de comprimento, mas podem chegar a três metros. Segundo Silvane, os jacarés estão em seu habitat natural. Eles são animais extremamente territorialistas e só revidam quando há alguma possível ameaça. Vivem em mangues, rios e áreas alagadas.

Conhecidos pelo hábitos noturnos, os jacarés se alimentam de peixes, aves e pequenos mamíferos. Eles podem viver por mais de 50 anos e põem de 30 a 60 ovos por ninhada. Os predadores naturais são as garças e os mamíferos de grande porte. “Como não temos grandes felinos na região, o único predador é a garça, que come os ovos e os filhotes. Na fase adulta, o jogo se inverte e o jacaré torna-se o predador da garça, formando o equilíbrio”, explicou a bióloga.

Não há registros de ataques de jacarés em Florianópolis. Mesmo assim, ninguém deve se aventurar pelos rios, córregos e mangues da região. Seu período de reprodução é entre janeiro e março. Os ninhos são feitos às margens dos rios e, neste período, esses animais cuidam mais do seu território.

Recolocação da sinalização está no planejamento estratégico

Além do controle biológico de outras espécies, os jacarés são ecologicamente importantes porque as suas fezes servem de alimento a peixes e outros seres vivos aquáticos. Hoje, os jacarés-de-papo-amarelo fazem parte da lista de animais em extinção do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente).

Leia na íntegra em Notícias do Dia Florianópolis, 21/06/2017.



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.