Ponta do Coral, um terreno cercado de polêmica
07/10/2013
Turismo se une para defender beach clubs
07/10/2013

Fronteiras do Pensamento: “Precisamos sentir algum tipo de igualdade”

Por Moacir Pereira (DC, 07/10/2013)
A presença do urbanista Enrique Peñalosa nesta segunda-feira, em Florianópolis, para dar início ao ciclo Fronteiras do Pensamento, abre um rico espaço de debate sobre o futuro que se deseja para a Capital e as principais cidades de Santa Catarina. Ele chega com uma experiência única: transformou Bogotá numa cidade mais humana, a partir de uma concepção inovadora de mobilidade urbana, priorizando as bicicletas e o transporte coletivo.
A Ilha de Santa Catarina é muito diferente da capital colombiana, sabem todos. Mas há algumas ações executadas em outras capitais que valem para Florianópolis. Em apenas quatro anos de mandato, Peñalosa implantou 300 quilômetros de ciclovias. Um espanto! Um prefeito que construísse por aqui um terço disso seria o novo herói da modernidade urbana.
Há, sim, inúmeras outras experiências adotadas em Bogotá que poderiam melhorar a mobilidade, respeitadas as características das cidades. Com o aumento do número de veículos particulares, Florianópolis não tem como fugir do pedágio de acesso à Ilha ou de circulação no centro histórico. As rodovias precisam também priorizar os ônibus e restringir o uso de veículos particulares. Ônibus confortáveis que cumpram horários, tenham roteiros inteligentes e práticos e facilitem a vida da população.
Florianópolis precisa romper outro vício: sair de casa de carro e chegar na garagem do destino. É mais tranquilo, mas tem custo social elevado. Acelera a poluição, trava a circulação e provoca isolamento.
Curioso é que essa visão cultural rompe-se quando as mesmas pessoas viajam para Nova York, Paris, Londres, Barcelona. Nestas, dispensam o veículo e realizam-se no caminhar. E como faz bem à saúde e ao espírito circular pela Quinta Avenida, Campos Elisios, Oxford Street, ramblas.
Peñalosa, que tem muito a dizer sobre suas ações concretas em Bogotá, ensina: “Nós precisamos caminhar, assim como as aves precisam voar. Precisamos estar perto de outras pessoas. Precisamos de beleza. Precisamos de contato com a natureza. Precisamos sentir algum tipo de igualdade.”
Agende-se
O quê: Fronteiras do Pensamento
Quando: hoje (Enrique Peñalosa), amanhã (Contardo Calligaris) e quarta-feira (Marcelo Gleiser), às 20h
Onde: Auditório da Fiesc (Rodovia Admar Gonzaga, 2.765, Itacorubi, Florianópolis)
Quanto: R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada) – valor por palestra. Passaporte para os três dias: R$ 100. Ingressos à venda pelo Blueticket. Estudantes, professores e portadores de necessidades especiais têm direito à meia-entrada, que pode ser adquirida apenas no quiosque Blueticket no Beiramar Shopping. Desconto de 50% para Clube do Assinante, clientes do Sesc e da Associação dos Moradores da Pedra Branca.
Mais informações: (48) 4062-0065

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *