Amazonas é premiado na Espanha por contribuição ao planeta
15/04/2008
Cientistas querem transformar poluição em CDs e DVDs
15/04/2008

Imagine viajar no tempo e visitar, num futuro não muito distante, um museu onde as peças expostas são objetos usados na época em que o planeta ainda tinha água abundante, como vasos sanitários e chuveiros, além de outras atrações, como espécies animais extintas, cardápios com alimentos a preços proibitivos e até refugiados ecológicos.
Esta é apenas uma das atividades do Projeto Museus do Planeta Aquecido, que estará em cartaz na UNISANTOS, de 15 de abril a 15 de maio.
Trata-se de um projeto de educação ambiental voltado aos estudantes. “Nesta fase inicial, a mostra atenderá alunos da rede particular de ensino. Estamos buscando parcerias com empresas comprometidas com a sustentabilidade sócio-ambiental para estender o projeto às escolas públicas”, afirma o consultor José Américo Borges, idealizador do projeto.
No dia 15 de abril, lançamento nacional do projeto, os museus serão abertos à Escola Estadual Dona Luíza Macuco, unidade com melhor avaliação no SARESP na região. “Na abertura quisemos levar o projeto aos estudantes da rede pública. Vamos receber cerca de 100 alunos das 5 e 6ª séries desta escola estadual. Os Museus do Planeta Aquecido serão itinerantes. Vamos percorrer outras cidades da Baixada Santista e também de outras regiões do Estado e do País”, destaca José Américo.
O idealizador dos museus explica que o objetivo é conscientizar os estudantes sobre os graves riscos ambientais que atingem o planeta através do impacto. “Queremos incentivar nos jovens o engajamento pelo desaquecimento global. Por isso adotamos a idéia dos museus que, se nada for feito, poderão virar realidade num futuro próximo”.
Os museus
A primeira atração da mostra é o Museu da Água. Na visita monitorada, os estudantes terão acesso a informações importantes para a reflexão sobre seu uso e desperdício:
· Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), hoje 15% da população mundial já não tem acesso á água potável;
· Dados do Instituto Internacional de Manejo da Água (IWMI) apontam que em 2025 mais de 30% dos povos de vários países vão conviver com a falta d’água.
O museu expõe peças cujo uso inadequado provoca desperdício desse líquido precioso e vital. Junto a cada objeto, o visitante terá informações de como usá-lo de forma consciente e correta. “O público ficará sabendo, por exemplo, que a descarga do vaso sanitário pode ser responsável por até 50% do consumo de água em sua casa. E o mais importante: o que fazer para resolver o problema”, explica José Américo.
No Museu da Biodiversidade Ameaçada será possível visitar uma espécie de cemitério dos vegetais e animais em extinção.
“Eu era o maior felino da América do Sul. Eu costumava caçar capivaras, antas, pequenos animais e até pássaros! Minha pele era toda cheia de manchas pretas. Infelizmente, as florestas foram destruídas e eu acabei sendo extinto”
Esta é a inscrição da lápide da onça pintada. “Se ações contra o aquecimento global não forem tomadas agora, este e outros animais serão extintos”, alerta o biólogo Fernando Santiago dos Santos, Consultor Técnico do projeto.
O Museu das Culturas Extintas levará o público à percepção sobre as mudanças socioeconômicas e culturais oriundas dos impactos na agricultura e pecuária. Entre os itens deste museu, estarão alimentos e pratos típicos, como o arroz, o trigo e o feijão, entre outros.
O Museu dos Refugiados Ecológicos mostrará o impacto que determinadas populações sofrerão em função das alterações climáticas. A mostra terá a ambientação de povos refugiados em situação de desastre ecológico.
Todas as peças em cartaz foram confeccionadas pelo cenógrafo e escultor santista, Fernando Valente.
Manual de Sobrevivência
No final da visita, os estudantes receberão título de Agente do Desaquecimento Global e também instruções para acessar o site do projeto, que traz um manual com 60 ações individuais e coletivas para o desaquecimento global. “Vamos mostrar que medidas simples, aliadas à participação em programas mundiais de preservação poderão salvar o planeta”, explica José Américo.
Teatro
Os visitantes também vão assistir a peça O Pequeno Circo Místico.
O espetáculo é encenado por seis atores e aborda a temática da extinção das espécies. A direção é de Aline Werneck e a trilha sonora é composta por obras de Chico Buarque de Hollanda e Edu Lobo.
Serviço
A Mostra Museus do Planeta Aquecido estará em cartaz na UNISANTOS, de 15 de abril a 15 de maio, das 8h30 às 17h, no Campus Dom Idílio Soares. O acesso será pela Rua Constituição, 321. Os colégios interessados em participar podem obter informações e fazer o agendamento pelo telefone (13) 8124-9390. – Assessoria de Imprensa
(Portal do Meio Ambiente, 15/04/08)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *