Fatma divulga 6º relatório de balneabilidade
07/01/2008
Celesc vai investir R$ 28,5 milhões em obras de energia em Palhoça
08/01/2008

Movimento Ecológico Planetário

Artigo de Elpídio Neves – Mestre em Administração/UFSC e presidente estadual do PTC (Paulo Alceu, 21/12/2007)
Em 1972 estávamos na cachoeira do contestado, em Irani, eu, Paulo Messa e Dirceu Pereira fazendo Trakking, Raffting e turismo rural. Ao mesmo tempo em Estocolmo, na Suécia, a ONU reunia-se pela primeira vez, para debater os problemas do meio ambiente, poluição térrea, aérea, marítima, efeito estufa e o aquecimento global.
De lá para cá, muitos encontros foram realizados: a Rio 92, a Eco urbs 93, em São Paulo, na qual coordenei o fórum dos partidos políticos. A Eco Urbs 2002, em Florianópolis, a conferencia de Curitiba em 2006, a Eco Power 2007, em Florianópolis e a 13ª reunião da ONU em Bali, na Indonésia de 03 a 14 dezembro de 2007.
Passaram-se 35 anos desde Estocolmo e cada vez mais os problemas da poluição crescem em projeção geométrica. A Amazônia pulmão do planeta continua a ser desmatada todos os dias, gerando milhões de toneladas cúbicas de CO2. Os automóveis inundam o planeta com elementos químicos que saem pelo cano de descarga tais como: monóxido de carbono, óxido de nitrogênio, óxido de enxofre, fuligem, hidrocarbonetos, aldeídos, água quente e calor. Navios derramam toneladas de petróleo no mar e as chaminés das indústrias contemplam o céu, com gazes poluentes somando-se aos gases do desodorante aerossol, que vão fazer buracos na camada de ozônio, por onde passam os raios ultravioletas que provocam o câncer de pele.
O IPCC, painel intergovernamental de mudança climáticas, criado em 1988, que conquistou o prêmio Nobel da paz, sob a batuta de Mohan Munasinghe e Al Gore, percorre o planeta explicando e justificando os efeitos das causas desastrosas do comportamento humano, quase em vão. O protocolo de Kyoto assinado entre 130 paises em 1997 com prazo de validade até 2012, só é cumprido por Alemanha e Suécia e adotou-se em Bali um substitutivo mais plausível para o mesmo, com participação dos USA, China e Índia.
A composição da gasolina brasileira é composta por 22 % de etanol, graças ao deputado Fábio Feldmann e o biodiesel é 1 % do total consumo mundial. As plantas que mais geram biodiesel, (criado pelo governo militar), são: mamona com lavoura familiar, soja, amendoim, dendê, linhaça, coco, babaçu, algodão, cupuaçu, girassol, gergelim, crambe, canola, pinhão manso e tunge. O cultivo mais fácil e que mais rende por km 2 é a mamona, 5 por 1, sobre a soja.
A coleta seletiva de lixo reciclável nos paises escandinavos chega a ter 17 tipos de recipiente para: papel, vidro, plástico, lata, pilhas, baterias,… similar a Curitiba de Lerner, Tanigushi e de Richa. No interior do Brasil isto é feito pelos ciganos. Os catadores de lata, papelão, ferro, metais, vidro e os catadores nos lixões fazem um grande favor para a sociedade, a natureza agradece. Estes sim são celebridades cotidianas.
Os créditos de carbono, já corrompem empresas poluentes que abrem empresas não poluente em outros lugares, só para ganhar dinheiro dos créditos de carbono, formando um mercado de câmbio negro de créditos de carbono. O sol cada vez mais aproxima-se da terra e isto é incontrolável, o consumo de energias aumenta.
O que se espera da sociedade é: uma revolução verde com pressão popular, por cidades verdes, produtos biodegradáveis, a construção de prédios inteligentes, a implantação de indústrias comprometidas com o desenvolvimento sustentável, investimentos maciços em saneamento básico, a reconstituição da mata atlântica, a proteção: das aves que fazem à polinização, dos mangues, onde 95 % da biodiversidade de reproduzem. Deve-se proteger a Amazônia, o pantanal, o rio São Francisco e desenvolver um consumo parcimônico de energias elétrica, termoelétrica, Gás, petróleo, álcool, metanol, heólica, hidrogênio, biodiesel, solar, energia nuclear e gerar energias alternativas e desenvolver uma consciência latente no cérebro de cada cidadão. O Al Gore nos revelou uma verdade inconveniente, mas, os políticos se omitem diante da situação periclitante.
Mudanças precisam ser feitas, o problema é que isto só se pode fazer depois que o presidente George Walker Bush sair da casa branca. Até lá, é esperar por Hilary Clinton. As novas gerações dependem de ações inteligentes, irreversíveis. Após a criação do estado da Palestina a ONU, vai voltar-se para a despoluição do planeta terra e aí todos terão que se envolver. A natureza necessita da sua ajuda, você pode salvá-la agora. O que você está fazendo pelo meio ambiente?

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *