Catadores voltam ao Centro da Capital
05/07/2007
Clic
06/07/2007

CNPQ investe em associação de catadores de Florianópolis

Planejar as coletas e triagem do material recolhido nas ruas é o objetivo do Projeto Rede de Catadores de Santa Catarina: capacitação para autogestão e agregação de valor aos materiais recicláveis como meios de inclusão social aos catadores.

O programa é desenvolvido pelos Técnicos da Comcap (Companhia de Melhoramentos da Capital), junto a professores da Univali (Universidade do Vale do Itajaí), do Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina e da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
A proposta é do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) para realizar um trabalho diferenciado do que a Associação dos Coletores de Material Reciclável (ACMR) estava acostumada a desenvolver.

Segundo a psicóloga e coordenadora de execução do projeto, Nara Bitencourt, a associação fez viagens para outros estados para identificar programas semelhantes e como o trabalho é realizado. “A iniciativa é dos catadores e a Comcap disponibiliza o espaço e o material para que o trabalho seja concretizado”.

O programa é composto por dois professores da Univali, um professor da UFSC, dois mestrandos da UFSC, dois engenheiros sanitários, sendo um da Comcap, e duas psicólogas, sendo uma também da Comcap.

De acordo com Nara, desde o ano 2000 a profissão de catador está regulamentada e a partir desta data os projetos surgiram. Há um ano, 78 catadores participam da parceria com o CNPQ.

(PMF, 06/07/2007)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *