Poluentes orgânicos são encontrados nas águas de rio na Serra Catarinense
11/04/2019
Florianópolis dá prazo para empresa retornar serviço de bicicletas na Lagoa da Conceição
11/04/2019

Terceira faixa da Via Expressa começa a desafogar tráfego de saída de Florianópolis

A rotina estressante de congestionamento encarada pelos motoristas que deixam a Ilha de Santa Catarina em direção ao continente parece estar com os dias contados. Nos próximos dias, um trecho de 1,6 quilômetro da Via Expressa (BR-282), entre a saída da ponte Colombo Machado Salles e o viaduto Almirante Tamandaré, deverá ser liberado pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

O trecho de 1,6 quilômetro em aclive que ainda não está liberado ainda provoca retardamento do trânsito de saída da Capital, com efeitos na avenida Gustavo Richard, no túnel Antonieta de Barros e na avenida Beira Mar Norte de acordo com o comandante da Guarda Municipal de Florianópolis, Ivan Couto. “Como as duas faixas da esquerda são as primeiras a congestionar, alguns motoristas insistem em trafegar pela terceira faixa até o final da ponte Colombo Machado Sales, e cortam à esquerda gerando mais retardamento”, relata Couto, sobre a situação observada diariamente.

A liberação do tráfego no trecho de 1,5 quilômetro já havia sido alvo de pedido da Guarda Municipal, mas dependia das condições da obra. De acordo com o superintendente do Dnit em Santa Catarina, Ronaldo Carioni, o cronograma prevê a liberação do tráfego no trecho a partir de segunda-feira (15), mas pode haver uma antecipação para sexta-feira (12) ou até no final de semana. “Tudo vai depender dos trabalhos da empresa responsável, mas trabalhamos com a liberação desse trecho na segunda quinzena de abril”, afirma.

Apesar de haver ainda esse gargalo, Carioni avalia como “acima da expectativa” a liberação do primeiro trecho de quatro dos 5,6 quilômetros de extensão da obra, localizado entre o viaduto Almirante Tamandaré e a BR-101. “Estou impressionado com o lado positivo da liberação desse trecho”, declarou Carioni, que trafega todos os dias pelo local. As obras para a terceira faixa da Via Expressa começaram em setembro de 2018, ao custo de R$ 26 milhões para os 5,6 quilômetros de extensão.

A empresa Britagem Vogelsanger, de Joinville, tem prazo de 12 meses para entregar a obra, mas, segundo Carioni, há previsão de que os trabalhos possam ser encerrados dois meses antes do prazo. Já a expectativa de liberação da terceira faixa da Via Expressa entre a BR-101 e a Ponte Pedro Ivo, na entrada de Florianópolis, fica para início de junho. “Esse é o nosso horizonte. Estamos acelerando a obra e trabalhamos com a possibilidade de entrega total dela no final de julho”, afirma Carioni.

(Confira matéria completa em ND, 11/04/2019)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *