TUM Happy Sunset: A cultura ocupa a cidade
05/04/2019
Dnit diz que parte da 3ª faixa da Via Expressa de Florianópolis será liberada nesta sexta-feira
05/04/2019

Presidente do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana presta esclarecimentos à CPI dos Transportes

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Público se reuniu nesta quinta-feira (04/04), para a segunda oitiva que contou com a presença do presidente do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana, Marcelo Roberto da Silva. Marcelo Roberto da Silva, explicou a metodologia do cálculo para aumento da tarifa é de acesso público e que consta no contrato de 2014: “É um sistema de fluxo de caixa, que reajusta a cada 12 meses, também previsto em contrato. O contrato prevê duas coisas que a outra metodologia não tinha. O reajuste e a revisão.”

Quando questionado sobre o porquê de Florianópolis possuir uma das tarifas mais caras do país, o presidente explicou que são muitos fatores que influenciam, entre eles, o custo com pessoal, a frota de ônibus que está sendo renovada, sistema de controle operacional, o custo com o aplicativo Floripa no Ponto, entre outros. Marcelo afirmou também que o “Consórcio Fênix tem que pagar para a Cotisa em relação ao número de ônibus que entram nos terminais”, o que leva a mais um custo na composição do preço.

“Não dá para comparar o custo do transporte público de Florianópolis com outros municípios menores. E, enquanto em várias cidades do país a queda no número de usuários foi de 20% a 25%, em Florianópolis essa redução foi de apenas 5%”, explicou.

O vereador Afrânio (PSOL), afirmou que não ficou satisfeito com as explicações do presidente: “Apesar de ser uma oitiva longa, faltaram muitos dados fundamentais, como os custos do nosso sistema de transporte coletivo, além disso, o tarifaço ocorreu em menos de 24 horas depois da reunião que aprovou a medida”. Em contrapartida, o vereador Renato Geske (PR) elogiou o detalhamento das respostas trazidas por Marcelo Roberto: “O secretário acabou dando uma aula de muitas informações que nós não tínhamos”.

A próxima reunião da CPI, está marcada para a próxima quinta-feira, dia 11/04. A comissão seguirá ouvindo os membros do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana. A CPI investiga as possíveis irregularidades no transporte coletivo da Capital, tanto no aumento da tarifa, no processo de licitação para a concessão do serviço de transporte e a falta de utilização dos terminais da região continental e do bairro Saco dos Limões.

A CPI é composta também pelos vereadores Guilherme Pereira (MDB), que preside a comissão, Claudinei Marques (PRB) e Lino Peres (PT).

(CMF, 04/04/2019)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *