Nota Pública do Fortur sobre parcerias público-privadas e concessões
11/04/2019
Cantares e Fazeres dos Açores
12/04/2019

Maior corrida de revezamento da América Latina vai reunir 4 mil atletas em Floripa no sábado (13/04)

A 24ª edição da prova Volta à Ilha, que é a maior corrida de revezamento por equipe em extensão da América Latina, reunirá quatro mil atletas na capital catarinense neste sábado, 13. O evento já é reconhecido no país inteiro: 70% dos participantes são de fora do Estado de Santa Catarina. Serão percorridos 140 km ao redor de Florianópolis com equipes de dois, oito ou 12 corredores, classificados em nove categorias.

A complexidade da prova é o que atrai os competidores, que seguirão por paisagens com estradas de terra, trilhas, mata, montanha, dunas e ainda 20 praias. A prova tem 18 postos de troca, com distâncias entre 4 e 16 km em diferentes graus de dificuldade. Vans, carros e motos também auxiliam no transporte dos atletas neste percurso.

“É uma prova diferente, vibrante, desafiadora, que exige estratégia e planejamento na escalação de cada membro da equipe”, comenta Carlos Duarte – criador e organizador da Volta à Ilha, que é promovida pela Eco Floripa Eventos Esportivos. Segundo ele, os distintos percursos e a condição física de cada atleta estimula o espírito de companheirismo e colaboração mútua no grupo.

Percursos

A saída será do trapiche da Avenida Beira-Mar Norte e segue fácil até o bairro João Paulo. Depois, em direção a SC-401 inicia o percurso difícil. O ritmo se torna moderado entre as praias de Santo Antônio de Lisboa, Daniela e Jurerê Internacional. A Cachoeira do Bom Jesus para a Praia Brava já considerado um trajeto muito difícil. O nível da resistência diminui um pouco ao passar pelas praias Brava e Ingleses.

Em seguida, a corrida se intensifica com outros percursos muito difíceis, como a praia do Santinho, Moçambique, Joaquina, Novo Campeche e Armação. O Morro do Sertão é ponto mais difícil e temido da prova. Após, os corredores se dirigem à Tapera, Via Expressa Sul e o ritmo diminuiu próximo à chegada, no trapiche da Avenida Beira-Mar Norte.

Turismo esportivo

Aproximadamente R$ 12 milhões são deixados em Florianópolis com a corrida Volta à Ilha, segundo pesquisa feita pela Eco Floripa. A maioria dos quatro mil competidores se desloca de avião (68%) e eles não vêm sozinhos, quase todos trazem algum acompanhante para a viagem. Como boa parte dos atletas é de fora de Florianópolis, 81% se hospedam em hotéis. Tradicionalmente, São Paulo é o estado mais participativo do Brasil na Volta à Ilha, somando 25% do total de vagas.

Como começou

Em 1996, depois de muitas voltas à Ilha de Santa Catarina, a prova foi criada. No início eram somente 22 equipes, hoje já são 400. As inscrições eram feitas pessoalmente ou por fax, já que não havia internet e celular. Durante muitos anos, a apuração dos resultados foi feita manualmente, pois não havia ainda os chips e o GPS. O percurso sofreu mudanças para se adaptar ao crescimento da cidade, mas o principal não se perdeu: a volta à Ilha.

(Deolhonailha, 11/04/2019)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *