Redução do ICMS sobre a querosene de aviação é pauta do setor turístico de Florianópolis
26/04/2019
Não podemos sair da Beira Mar bonitinha e entrar na rodovia estadual com tudo avacalhado, diz prefeito sobre SC-401
26/04/2019

Inovação urbana: novas estratégias para o desafios das cidades!

As cidades abrigam espaços para o convívio e a troca de experiências das pessoas, ainda, fornecem o aprendizado, a comunicação, as relações e a capacidade criativa dos seus habitantes. Ademais, as cidades são lugares de atividades diversificadas, como exposições culturais, manifestações, comércio, lojas, bem como, funcionam como imãs demográficos (ROGERS, 2014).

Nesse sentido, de acordo com a revisão de 2009 realizada pela Organização das Nações Unidas, as perspectivas da urbanização mundial, estima-se que a população que vive nas áreas urbanas passe de 3,4 bilhões em 2009 para 6,3 bilhões em 2050. Logo, os espaços urbanos estão cada vez mais escassos e os problemas recorrentes nas cidades tornam-se cada vez mais visíveis. Assim, a inovação nos espaços urbanos surge com estratégia para solução de problemas das cidades, no âmbito da mobilidade urbana, desenvolvimento sustentável, além da participação da sociedade.

As práticas inovadoras de Medellín:
Medellín, na Colômbia era conhecida como a “capital do assassinato do mundo” nos anos 90. Sendo assim, era considerada uma das cidades mais violentas do mundo. Nesse sentido, foi uma das primeiras cidades em inovar no seu planejamento e gestão urbana. Assim, a cidade desenvolveu uma série de iniciativas para tornar-se uma cidade segura e com uma maior qualidade de vida. Entre as iniciativas foram a construção de bibliotecas públicas, parques e praças urbanas em localidades consideradas mais violentas, como a Comuna 13, considerada a maior favela do mundo.

Ainda, no que diz respeito a mobilidade urbana, a criação dos Metrocable e de escadas rolantes, para facilitar a acessibilidade. Assim, Medellín foi pioneira ao utilizar os teleféricos como meio de transporte público, fazendo com que a população das periferias dos morros fosse agraciada.

Ademais, a inovação iniciada na cidade pela gestão pública em 2002, permitiu aos cidadão uma maior qualidade de vida, além de revitalizar espaços antes ociosos e tornar a cidade segura! Logo, em decorrência das suas soluções inovadoras, Medellín recebeu o prêmio de cidade mais inovadora do mundo em 2013 pelo Wall Street Journal e o Urban Land Institute.

O caso brasileiro de Curitiba!
A cidade brasileira de Curitiba, na década de 1970, inovou na área do transporte com a criação do sistema BRT – Bus Rapid Transit, ou Transporte Rápido por Ônibus. O sistema de transporte deu notoriedade a capital paranaense. Ainda, a cidade tornou-se em um modelo urbano, sendo referenciada nos dias atuais por suas iniciativas urbanas inovadoras.

Nesse sentido, o sistema de transporte fornece a mobilidade rápida, segura e de qualidade aos seus passageiros. Na medida que existe uma via exclusiva para os ônibus, ou seja, corredores próprios, os ônibus tem prioridade de ultrapassar e conseguem operar de forma rápida e frequente. Ademais, esse sistema é frequentemente replicado em cidades latino americanas, como é o caso de Bogotá.

Em Curitiba a revitalização de locais ociosos das cidade, como a Pedreira Paulo Leminski e a Ópera de Arame, propicia aos seus moradores espaços públicos de qualidade. Também beneficia a cidade como um todo, possibilitando ao cidadão desfrutar das áreas para atividades de lazer. Nesse sentido, a inovação urbana permite uma maior qualidade de vida aos habitantes das cidades!

Inciativas como o Living Labs procuram fornecer soluções para os principais problemas das cidades. Confira como funcionam e o case de Florianópolis, nesse post!

Gostou do tema? Quer conhecer mais sobre inovação? Acesse nosso post sobre a importância da participação cidadã na inovaçãoe sobre inovação cívica!

(VIAUFSC, 26/04/2019)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *