Ativista diz que ciclistas “não podem ser esquecidos” nas obras de infraestrutura
07/03/2019
Estado busca captar R$ 6,9 milhões via Lei Rouanet para museu da ponte Hercílio Luz
08/03/2019

Artigo de Júlio César Trindade Ferreira – Diretor-Geral ACIF Sul

A conclusão das obras do acesso ao novo terminal do Aeroporto de Florianópolis é um tema de interesse amplo aos que moram, empreendem ou visitam o sul da Ilha de Santa Catarina. Os serviços, segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura, ingressaram na fase final e será possível contar com pelo menos uma pista liberada até agosto. Mas, relacionando o novo acesso com os desafios urbanísticos do sul da Ilha, percebemos que estamos diante de uma oportunidade ímpar para promover o desenvolvimento ordenado naquela região.

A nova rodovia encurtará distâncias e despertará a atenção para espaços aptos para o crescimento. E dois aspectos sobressaem como essenciais neste desafio: a centralidade e a verticalidade. A centralidade significa oferecer à população, nos bairros onde residem, acesso a serviços públicos, escolas, comércio diversificado, opções de lazer e cultura, entre outros. Desta forma, inibimos os deslocamentos e contribuímos para a melhora da mobilidade.

Também fomentamos o uso de transportes alternativos, em detrimento dos carros – e vale ressaltar que o sul da Ilha é quase todo plano, apropriado para o uso de bicicletas. A centralidade igualmente fomenta pequenos negócios e fortalece os já existentes, uma equação favorável à economia sustentável. A verticalização, por sua vez, reduz os custos de implantação e manutenção da infraestrutura pública, diminui a impermeabilização do solo, multiplica os IPTUs e resguarda as Áreas de Preservação Permanente.

A geografia e a extensão territorial da Capital são fatores que nos obrigam a ter na centralidade (os bairros com vida própria) e na verticalização as fórmulas ideais para a mobilidade, a ocupação e o uso do solo. Os exemplos estão espalhados pelo mundo e podem ser estudados e adaptados à realidade local: Hong Kong (China), Copenhague (Dinamarca) e Amsterdã (Holanda), Berlim (Alemanha), Zurique (Suíça), Bogotá e Medellín (Colômbia), entre outros. Com inspiração, esforço e empenho de toda a sociedade organizada podemos alcançar a nossa combinação de sucesso.

(ND, 04/03/2019)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *