Ativistas pedem pressão da polícia contra farra do boi em SC
08/02/2019
Nestlé quer acabar com canudos plásticos no Nescau até 2025
08/02/2019

Crescimento da população é preocupante para a infraestrutura de Florianópolis

Da Coluna de Cacau Menezes (NSC, 07/02/2019)

Conceda-me dois dedos de prosa. Preciso falar sobre a questão populacional de Florianópolis, a grandiloquente variável socioeconômica na complexa equação que irá definir o futuro da cidade e os nossos destinos. Estimativa do IBGE de dias atrás estimou uma população (2018) em Florianópolis de 492.977 pessoas.

Segundo o PhD em demografia Paulo Campanário, em trabalho publicado pelo IPUF em 2007, a população se estabilizaria por volta de 2050 com a cidade somando 876.159 habitantes.

Ou seja, no período de apenas 32 anos agregaríamos à nossa população cerca de 380.000 pessoas, isto é, um crescimento de 77%, sem dúvida um percentual extraordinário.

O notável é que – certamente caso único entre as capitais do Brasil – o crescimento deve-se ao fluxo migratório. O crescimento vegetativo no início do período é de apenas 0,70% (natalidade de 1,22% e mortalidade de 0,52%). Mas eis que aí aparece Florianópolis como sonho de consumo para muitos brasileiros, apontando um fluxo migratório (diferença entre os que entram na cidade e os que saem) de 1,24%, que é muita alta. Por isso é que os nativos já são minoria (pouco menos de 50%).

No final do período (2045-2050), o crescimento populacional seria de apenas 0,33%, puxado pelo fluxo migratório de 0,49%. Não fosse isso, a população estaria decrescendo (morrendo mais gente 1,06% do que nascendo 0,84%).

O elevado fluxo migratório que ocorre em Florianópolis é benéfico, pois a grande maioria dos que vem para cá é de razoável ou elevado nível educacional ou econômico. A cidade se enriquece com esse fluxo, sem contestação.

A questão é que não estamos sendo capazes de administrar a questão populacional, tanto do ponto de vista social (as favelas estão aumentando rapidamente) quanto econômica (as oportunidades de emprego são baixas, mantendo-se elevado o volume de desemprego). As áreas naturais protegidas que correspondem a cerca de 50% da Ilha de SC estão seriamente ameaçadas.

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *