Living Lab Florianópolis: Conheça os projetos selecionados no programa de inovação para cidades inteligentes
18/12/2018
Oscar da tecnologia em SC premia empresas e instituições
18/12/2018

Reunião na Fiesc debate prazo para conclusão do contorno viário da Grande Florianópolis

Por iniciativa do Fórum Parlamentar Catarinense, representantes da Agência Nacional de Transportes (ANTT) estiveram na manhã desta segunda-feira (17) na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), para tratar do andamento do contorno viário da Grande Florianópolis e estabelecer um cronograma final para a obra.

A construção, de 51,4 quilômetros, que corta os municípios de Governador Celso Ramos, Biguaçu e Palhoça, está vinculada à concessão de trecho da BR-101 à empresa Autopista Litoral Sul. Pelo contrato, os trabalhos deveriam estar concluídos em 2012, mas só iniciaram oficialmente em 2014.

Presente ao evento, a atual coordenadora do Fórum, deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC), afirmou que o andamento do contorno viário tem sido objeto de acompanhamento permanente por parte das lideranças catarinenses em Brasília e que a última informação passada pela ANTT é que em três anos a via estaria finalizada. “Hoje é um dia para sabermos um pouquinho mais sobre como está o cronograma, se ele está assegurado e com a conclusão das obras mantida para dezembro de 2021, porque já há um atraso de dez anos e a sociedade catarinense não tolera mais ficar aguardando.”

Na ocasião o diretor-geral da ANTT, Mário Rodrigues Júnior, declarou que a Agência trabalha com um prazo final um pouco além, para janeiro de 2022. “Esse é um compromisso assumido pela Agência e, principalmente, pela concessionária que é a responsável pela execução dos serviços. Então a data está prevista e, no andamento do cronograma, em 2022 estaremos com tudo concluído.”

Já o deputado João Amin (PP), que preside a Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Assembleia Legislativa, observou que três, dos quatro túneis necessários para conclusão do contorno, ainda não contam nem mesmo com licenciamento ambiental. Ele afirmou não acreditar no cumprimento do prazo estipulado. “A gente vê que é um jogo de empurra, da Autopista, da empresa responsável pelas obras e da Agência. Infelizmente a ANTT não serve como reguladora. Está servindo é como advogada de quem não está compromissado a terminar essa obra.”

O parlamentar também ressaltou a importância da estrutura, que, a seu ver, deve trazer benefícios para além do conjunto de municípios da região. “O contorno viário vai melhorar em 20% o tráfego pesado entre Palhoça e Biguaçu e isso influencia diretamente o Mercosul, não somente a Grande Florianópolis ou Santa Catarina. Então, é de fundamental importância que essa obra saia do papel.”

(Agência AL, 17/12/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *