Trajeto de corrida de rua no último dia de 2019 prevê trecho pela Ponte Hercílio Luz
07/12/2018
20 empresas já demonstraram interesse pelo projeto de marina na Beira-Mar
07/12/2018

Pesquisadores falam sobre resultados dos estudos nos aquíferos Guarani e Serra-Geral

Pesquisadores da Rede Guarani/Serra-Geral apresentarão no dia 11 de dezembro alguns resultados e perspectivas do projeto que estuda a hidrogeologia e a geoquímica das águas superficiais e subterrâneas na região dos sistemas aquíferos Guarani e Serra Geral. O seminário acontece no dia 11 de dezembro, às 14h, no auditório da FAPESC (Fundação e Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), que por meio da SDS (Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável) apoia o Projeto.

Os pesquisadores envolvidos no projeto detectaram a presença de metais tóxicos em águas do Aquífero Guarani/Serra-Geral na cidade de Lages, altos índices de nitratos e coliformes relacionados à falta de coleta e tratamento de esgotos no lago da UHE Itá, e presença de pesticidas na Usina Foz do Chapecó. Os resultados já foram divulgados em mais de 160 publicações acadêmicas, entre livros, capítulos de livros, artigos em revistas cientificas, anais de congressos, pôsteres e relatórios. Eles motivaram dezenas de estágios de bolsistas de graduação, 8 teses de doutorado, 8 dissertações de mestrado e 19 TCCs (Trabalhos de Conclusão de Curso). Todo esse acervo está disponível no site www.rgsgsc.wordpress.com

Como conclusões de caráter geral, o prof. Luiz Fernando Scheibe, coordenador do projeto, destaca a confirmação da importância do aproveitamento das águas do Sistema Aquífero Serra Geral e o reconhecimento sua vulnerabilidade à contaminação em praticamente toda sua extensão, já que aparece diretamente na superfície ou coberto apenas por camadas de solos com poucos metros de espessura. “Esses solos servem como uma barreira precária aos processos de contaminação, que são relacionados à falta de sistemas de coleta e tratamento de esgotos urbanos, ao uso intensivo de fertilizantes químicos e de agrotóxicos nas zonas de cultivo, à disposição inadequada de dejetos das criações e agroindústrias de suínos, aves e gado leiteiro e de outras atividades industriais, como papeleiras, metalúrgicas e até postos de combustíveis”, explica o pesquisador.

Quanto ao Projeto RGSG-SC/ Infraestrutura, Capacitação e Intervenção, o resultado mais expressivo foi a aplicação dos recursos da emenda coletiva da Bancada Federal de Santa Catarina na consolidação e ampliação da infraestrutura de pesquisa e inovação de laboratórios da Uniplac, Unoesc, UnC, UnoChapecó, Furb, Udesc, Ufsc e da Epagri, visando a produção de conhecimento hidrogeológico e da geoquímica das águas superficiais e subterrâneas na região de abrangência dos sistemas aquíferos Guarani e Serra Geral.

No evento também será lançado o livro Águas subterrâneas: um patrimônio catarinense. A obra reúne fotografias de reservatórios, barragens, afloramentos, rios e aquíferos subterrâneos de diversas regiões do estado, além de mapas e gráficos da distribuição e uso dessas águas. Entre outros assuntos, os textos tratam da formação geológica que abriga as massas de água e da vulnerabilidade do sistema devido aos índices preocupantes de poluição, alertando para a necessidade de preservação.

(Fapesc, 07/12/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *