Lançado aplicativo que registra problemas urbanos de Florianópolis
18/09/2018
Estado vai repassar manutenção da SC-401 para a prefeitura depois das eleições
19/09/2018

#UFSCqueeuquero é tema central do 8° Workshop Cidades mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis

Uma cidade dentro de uma cidade. Assim foi tratado o contexto social e urbano da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) durante o 8° Workshop Cidades mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis (CHIS), desenvolvido pela disciplina de mesmo nome ofertada pelo Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC/UFSC) e aplicado pelo LabCHIS.

De 10 a 14 de setembro, no Campus Trindade, cerca de 70 pessoas, entre estudantes, pesquisadores, servidores da universidade e a comunidade externa, estiveram reunidos para discutir soluções inovadoras para problemáticas identificadas nas áreas de Comunicação, Economia, Governança, Lugar/Segurança, Meio Ambiente, Mobilidade, Patrimônio e Identidade. Essa é a primeira vez que o workshop tem como objeto de estudo a UFSC, em 2017 a atividade de imersão foi sobre a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.

Assista ao vídeo.

Sob a premissa da #UFSCqueeuquero, os participantes olharam a instituição como forma de entender as suas dores e, assim, encontrar oportunidades para contribuir e melhorar o campus, tornando a região um lugar mais humano, inteligente e sustentável. Eduardo Moreira da Costa, professor responsável pela atividade, informa que o processo do workshop está em desenvolvimento há alguns anos e neste ano foi possível verificar como a metodologia está sendo aperfeiçoada. “Pela apresentação dos grupos e pelos problemas levantados, dá para perceber que estamos chegando a um resultado mais significativo. O entusiasmo e o esforço coletivo revelam que o assunto de mudar a cidade afeta a todos nós, porque todos querem mudar a nossa vida e dos nossos familiares”.

Segundo Fernanda Elisa Demore Palandi, coordenadora-geral do evento, o método próprio do LabCHIS busca apresentar uma solução única para a cidade. “Primeiro nós dividimos os grupos para entender melhor quais são os problemas para, depois, unificar e lançar uma proposta central”. Todo ano um documento central, chamado de Memorial Descritivo, registra os problemas e as possíveis soluções. Este ano, a previsão é que o Memorial seja finalizado em meados de novembro para que seja entregue oficial à Gestão da UFSC. “Estamos felizes com esse processo porque, tanto os alunos como servidores, estão nos respondendo com positividade à metodologia criada, desenvolvida e em evolução no Campus UFSC. Esperamos que o relatório seja bem recebido pela Reitoria”, frisa Palandi.

Nos próximos dias os grupos irão se reunir para finalizar os relatórios por área para, a partir dessa conclusão, uma equipe central atuar no fechamento das soluções e implantar as propostas. “A realização do workshop do LabCHIS este ano na UFSC foi positiva e poderá contribuir com as decisões da nova gestão”, salienta Costa.

Metodologia de trabalho durante o workshop

A metodologia utilizada é de cocriação, envolvendo diferentes perspectivas sobre o assunto, e Design Thinking, que coloca o stakeholder no centro do processo, buscando compreender a situação de forma global para, então, apresentar alternativas aos problemas e necessidades. Por exemplo, o grupo de trabalho de Comunicação recebeu a seguinte pergunta norteadora: Como usar as tecnologias de mídia digital para empoderar os usuários e melhorar a qualidade de vida no campus?

Diante disso, e após ouvir stakeholders gerais convidados para o primeiro dia de evento, o grupo montou perguntas centrais que foram feitas a stakeholders da área, sendo neste grupo o professor Luiz Salomão Gomez, do Laboratório Logo; Mayra Cajueiro, da Agência de Comunicação da UFSC (Agecom); e Felipe Laval, Laura Tuyama e Cledison Marques, da TV UFSC.

No segundo e terceiro dia foi construído o Mapa de Empatia identificando e priorizando os principais problemas levantados em torno dos desafios da comunicação. Em debate entre o grupo, um brainstorming lançou possíveis soluções/projetos aos problemas identificados, seguido de uma filtragem de ideias que conta com o apoio de consultores externos. Nesta edição participaram servidores da Corregedoria-Geral e da Coordenadoria de Gestão Ambiental, ambos da UFSC, e do mestre pelo EGC/UFSC, Thiago Zilinscki Furlani, que falou sobre a ferramenta Pitch. No quatro e quinto dia foram desenvolvidos os projetos estruturantes e a apresentação final das soluções. O encerramento das atividades de cada grupo se dará dentro de 30 dias com a construção de um Memorial Descritivo para cada área.

Mais

O workshop é promovido pela disciplina de Cidades mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis do grupo do LabCHIS, por meio do curso de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC/UFSC) e tem como objetivo identificar os principais desafios e propor soluções estruturantes. Mais informações nas páginas do LabCHIS e do Workshop CHIS.

(Ufsc, 18/09/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *