Além de supermercado, outros imóveis da Lagoa da Conceição enfrentam processos de demolição
21/09/2018
Florianópolis celebra Dia da Árvore com plantio de árvores nativas no Morro da Cruz
21/09/2018

Série Os Desafios de SC: governador deverá lidar com as reformas das pontes da Capital

Com foco nas eleições 2018, o Grupo RIC mapeou 10 desafios que o próximo governador vai precisar encarar ao assumir a Casa d’Agronômica. A série Os Desafios de SC mostra temas que lidam diretamente com a economia e o desenvolvimento do Estado. As reportagens especiais vão ao ar sempre nas segundas e quintas na RICTV Record, e serão publicadas todas as terças e sextas no Notícias do Dia, junto com o posicionamento dos candidatos sobre como cada um irá lidar com o desafio caso seja eleito. Nesta edição, o desafio das pontes Hercílio Luz, Colombo Salles, Pedro Ivo e a mobilidade da Grande Florianópolis estão em pauta. 

“Mandarei fazer uma ponte para acabar de vez com esse suplício,” disse o governador Hercílio Luz em 1917. Em 1926, ela estava inaugurada. Mas um século depois de ser idealizada, o “suplício” voltou. A complexidade da restauração do principal símbolo do Estado faz o bloqueio se arrastar por mais de três décadas. A magnitude da obra mantém os motoristas entretidos durante os congestionamentos das pontes Pedro Ivo e Colombo Salles, que já estão saturadas e precisam de reforma urgente, mas não há prazo.

O novo governador irá inaugurar a ponte Hercílio Luz? Seis mandatos já se passaram e até agora, nada. Paulo França, presidente do Departamento da Infraestrutura diz que a obra termina na metade de 2019. “Nós vamos deixar tudo encaminhado para quem assumir. Reinaugurar a Hercílio Luz não é um plano de governo, é um plano de Estado.” Mas França é pé no chão quanto à complexidade do trabalho e da possibilidade de adiamento. “Podem ter novos aditivos”, diz.

As cinco estruturas de apoio que estão abaixo da ponte serão removidas no final da obra. Elas foram projetadas para um prazo de cinco anos, prevendo a inauguração para 2018. Já que o prazo novo é 2019, não se sabe se essa estrutura estará apta a suportar a ponte até o fim das obras. Um relatório está sendo produzido pela RMG Engenharia, responsável pela supervisão e fiscalização dos trabalhos. Se os técnicos indicarem que é preciso reforçar a estrutura, mais aditivo. Em outras palavras, mais tempo e dinheiro.

A ponte Hercílio Luz tem mais um valor simbólico do que de tráfego. Hoje, quem segura a mobilidade entre a Capital e região metropolitana é a dupla Pedro Ivo e Colombo Salles. O problema é que as duas estão precisando de reforma urgente e não há previsão de início das obras.

Segundo o Deinfra, a empresa que vai realizar os trabalhos já foi selecionada por meio de licitação, mas a verba ainda não foi liberada pelo BNDES e não há como prever o início das obras. A empresa que vai supervisionar ainda não foi selecionada. O edital foi publicado no dia 31 de agosto. Quando a obra começar, a previsão é de 24 meses de duração. O presidente do Deinfra garante que tudo ficará encaminhado para o próximo governador. “Não tenho como prever o início, mas repito. Isso é plano de Estado, não é plano de governo e vamos entregar o processo agilizado”, diz.

(Confira Matéria completa em ND, 21/09/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *