Empresa assume quadras de areia da Beira-Mar Norte
17/09/2018
Santa Catarina detém a 4ª maior indústria criativa do País
17/09/2018

Da Coluna de Moacir Pereira (NSC, 17/09/2018)

Durante os sete dias em que a missão da Fecomércio percorreu vários municípios da Republica Tcheca, liderada pelo presidente Bruno Breithaupt e pelo vice Francisco Cristiani, múltiplas informações foram transmitidas por autoridades e empresários de diferentes setores, com ênfase para o ramo cervejeiro.

Fatos e constatações importantes ficam na memória. A primeira delas: a efervescência cultural de Praga. É música e teatro em todos os cantos, excepcionais prédios históricos com diversos estilos arquitetônicos, esculturas centenárias com ricas concepções artísticas espalhadas pela cidade, a presença de escritores e compositores, lidos e ouvidos em todo o mundo, como Kafka e Mahler.

A típica gastronomia é valorizada em milhares de restaurantes, existentes em todas as principais ruas e praças, quase sempre ocupando parte das calçadas para as alegres celebrações de frequentadores.

Circular a pé, o prazer do deleite de um museu a céu aberto. De metrô ou de VLT, outra prova de que o transporte public de qualidade evita congestionamentos.

Longas horas no Castelo de Praga, rápida passagem pela multidão na Ponte de Carlos, o olhar fixo durante minutos nas riquezas artísticas da Catedral de São Vito, no excepcional “art déco” do Municipal House e na linda Igreja Nossa Senhora da Vitória, onde os devotos de concentram no altar lateral, orando ao Menino Jesus de Praga.

A cerveja está presente em todas as mesas. Quase sempre em canecos de meio litro, vidro grosso. Tulipas são raras.

O povo tcheco contamina os visitantes no saborear a cerveja. É um ato de celebrar com a família e com os amigos ou motivo para negócios.

É uma tradição cultural que os tchecos repetem há mais de mil anos. A cerveja para eles é motivo de orgulho nacional, uma espécie de símbolo da pátria. Pela qualidade, quem toma um gole fica com o gosto de “querer mais”. Todos bebem, bebem muito, mas ninguém viu tcheco ou turista caindo pelas ruas. Quando muito, jovens alegres se divertindo.

O diplomata André Kasina, que acompanhou a delegação catarinense durante toda a programação, é um tcheco culto e generoso, que viveu os horrores do comunismo na ex-Tchecoslováquia, depois em Cuba e na Venezuela. Lembrava a fraterna atitude tcheca no consumo de cerveja: “A gente bebe cerveja para celebrar, para subir, se elevar; não para cair”.

Praga, a maior cidade tcheca, é uma cidade sem estresse.

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *