MPSC cobra Deinfra na justiça por recuperação de pontes
08/02/2018
Fechamento da Praça 15 durante Carnaval repercute na Câmara de Vereadores
09/02/2018

Ações visam garantir segurança, preservação e transparência durante remoção de árvores no Bosque do CFH

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, na direção do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 12 representantes do CFH, do Centro de Ciências Agrárias (CCA), da Prefeitura Universitária (PU), da Secretaria de Segurança Institucional (SSI), da Coordenadoria de Gestão Ambiental (CGA) e do Gabinete da Reitoria definiram os detalhes para a remoção das árvores exóticas não-nativas (eucaliptos, casuarinas e pinheiros) do Bosque do CFH. O Leilão, realizado dia 6 de fevereiro, foi arrematado por uma pessoa física da cidade de São José (SC). A retirada das árvores iniciará nesta segunda-feira, 10 de fevereiro, e deve ser finalizada até o início do ano letivo na UFSC, dia 26 de fevereiro.

Segundo o grupo, a escolha da data se dá com o propósito de garantir a segurança da comunidade que circula pela UFSC em dias letivos. “A retirada está ocorrendo de maneira transparente, clara e ecologicamente correta. Para preservar a segurança de todos, o início da retirada e a circulação de caminhões se iniciam dia 10, momento de menor fluxo de pessoas na Universidade”, diz Áureo Moraes, chefe de gabinete.

Nesta sexta-feira, 9 de fevereiro, uma equipe fará a identificação de ninhos e tocas existentes no Bosque. Com essa ação, pretende-se garantir o bem-estar do animal e reduzir ao máximo os danos à fauna. “Antes, durante e depois da retirada das árvores o grupo acompanhará os trabalhos como forma de providenciar o resgate e/ou o afugentamento dos animais”, explica Allisson Castro, biólogo da CGA.

Entre os motivos para a retirada das árvores estão questões ambientais, de segurança e o cumprimento da Lei Municipal n° 9.097/2012, que determina a remoção e a substituição de árvores exóticas por espécies nativas até 2022. Nas áreas de retirada das árvores será realizado reflorestamento gradual com vegetação nativa.

O local também é um espaço de compensação ambiental da UFSC: em virtude da construção dos novos blocos do CFH, a Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram) exigiu como compensação ambiental a recuperação da área, incluindo a remoção das plantas exóticas com substituição pelas nativas.

Isolamento

Nesta sexta-feira, 9 de fevereiro, também serão realizados os trabalhos de isolamento do Bosque e dos acessos do Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI) e do Museu de Arqueologia e Etnologia (MArquE), uma vez que nesses locais transitarão os caminhões.

Leia mais sobre o assunto na reportagem.

(UFSC, 08/02/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *