Transporte coletivo da Lagoa volta a fazer trajeto pelo Norte da Ilha
17/01/2018
Começa o serviço de mapeamento de risco nos municípios catarinenses
17/01/2018

Prefeitura reforça que não emitiu alerta sobre jacarés em praias, mas Floram explica aparição dos animais em bairros

Na terça-feira, 16, conforme noticiou o DeOlhoNaIlha, a prefeitura de Florianópolis negou que tivesse emitido alerta informando sobre a presença de jacarés nas praias de Florianópolis. O único caso isolado de jacaré em praia da cidade foi registrado em Canasvieiras.

No entanto, conforme ganhou destaque inclusive no Jornal Nacional desta terça-feira, aumentou o número de ocorrências com jacarés em alguns bairros residenciais da capital catarinense. Segue a explicação da Fundação Municipal do Meio Ambiente sobre o fato.

“A Floram (Fundação Municipal do Meio Ambiente) esclarece que o jacaré do papo amarelo é uma espécie nativa que ocorre nos manguezais e áreas alagadas existentes na Ilha de Santa Catarina.

Recentemente saída da lista de espécies ameaçadas de extinção, a espécie tem se desenvolvido e adaptado bem, especialmente nas áreas protegidas do Município, podendo eventualmente aproximar-se das áreas mais urbanizadas por meio de cursos d’água e aparecer até mesmo próximo às praias, por estas muitas vezes estarem próximas a manguezais e outras áreas alagadas.

Em razão do grande volume de chuva ocorrido na semana passada, alguns animais foram deslocados de seu ambiente natural para algumas áreas fora de seu habitat pela força da correnteza dos rios e inundação de áreas planas.

A Prefeitura de Florianópolis reforça que não emitiu qualquer alerta sobre a presença de jacarés nas praias da cidade e que, se excepcionalmente, forem encontrados fora do seu habitat, a população deve manter a distância adequada e acionar a Polícia Militar Ambiental no telefone: 190.

Ressalta-se que, se não forem importunados, os jacarés não tendem a atacar nem interagir com os seres humanos, de forma que em nenhuma hipótese deve-se tentar espantar ou agredir os animais caso sejam encontrados nas áreas urbanas.

Importante destacar que, apesar de a Floram estar ciente da ocorrência e situação da espécie, especialmente nos manguezais da Bacia do Itacorubi e de outras regiões da Ilha, a competência de manejo de animais silvestres é da Fundação do Meio Ambiente do Estado – FATMA.”

(Deolhonailha, 16/01/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *