Obra para despoluição no sul da Ilha
16/01/2018
Os primeiros números da temporada
16/01/2018

Florianópolis é a capital com menor percentual de obesos no país, mostra pesquisa

Florianópolis tem o menor percentual de beneficiários de planos de saúde obesos entre as capitais brasileiras. Esse é um dos dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). De acordo com a pesquisa Vigitel Brasil 2016 – Saúde Suplementar, a proporção de obesidade na cidade catarinense é de 11,7%. No país essa taxa é de 17,7%.

Além disso, os manezinhos usuários de planos de saúde estão entre os com menores percentuais de excesso de peso: 49,1% estão com o problema. A Capital catarinense aparece na terceira posição entre as taxas mais baixas, atrás do Distrito Federal e Palmas. No país, 53,7% estão acima do peso.

— Os indicadores do Vigitel da Saúde Suplementar devem ser usados na reflexão de operadoras de planos de saúde, prestadores de serviços e beneficiários, contribuindo para a formulação de modelos de cuidado que envolvam a promoção da saúde e a prevenção de doenças, em prol da qualidade de vida desta parcela da população — explica Karla Coelho, diretora de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS.

Outro destaque de Florianópolis aparece entre os adultos que praticam alguma atividade no deslocamento do trabalho, ou seja, fazem parte do trajeto a pé ou de bicicleta, por exemplo. O estudo aponta que 13,1% dos florianopolitanos que têm planos de saúde fazem exercício no caminho para o trabalho, colocando a Capital como a terceira melhor taxa do país. No Brasil esse índice é de 12%.

Apesar de bons indicadores em relação à obesidade e exercícios físicos, Florianópolis não apresenta bons resultados quando o assunto é consumo de bebida alcoólica e fumantes. O levantamento aponta que 8,7% dos beneficiários florianopolitanos fumam, o que posiciona a cidade como a quarta capital com maior índice de fumantes, empatado com Belo Horizonte, atrás apenas de Curitiba, Porto Alegre e São Paulo. No Brasil, esse índice é de 7,3%.

Outro dado que preocupa é que 17,5% dos florianopolitanos abordados na pesquisa admitem que dirigem após o consumo de qualquer quantidade de bebida alcoólica – quarto município com maior percentual do país, atrás de Teresina, Palmas e Distrito Federal. No país esse índice é de 10,1%.

Quanto o tema é tempo livre, 18,6% dos adultos de Florianópolis responderam que dedicam mais de três horas diárias a assistir televisão e 16,49% afirmaram que gastam mais de três horas por dia com celular, tablet ou computador.

O que é

A Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) focada nos usuários de saúde é realizada desde 2008 pelo Ministério da Saúde, em parceria com a ANS. O Vigitel da Saúde Suplementar 2016 foi feito com base em 1.886 entrevistas por telefone em SC.

(DC, 15/01/2018)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *