Clipping

Com mais R$ 4,6 milhões em investimentos, Casan conclui outra obra de esgoto em Florianópolis e amplia a cobertura na cidade




Equipes da Casan começam a visitar esta semana na Lagoinha do Norte, em Florianópolis, moradores cujos imóveis estão sendo beneficiados com a nova rede de esgoto instalada no bairro. O objetivo da visita é informar aos proprietários que a partir de agora todos devem fazer a correta ligação do imóvel à rede de esgoto recém-concluída. Com investimentos de R$ 4,6 milhões, esta é a quinta obra de esgoto entregue nos últimos quatro anos pelo Governo do Estado, Casan e Prefeitura.

O SES Lagoinha faz parte do Plano de Investimento em Esgoto que está implantando nove obras na Capital, num investimento total de R$ 401 milhões. Até 2019, a cobertura da cidade saltará de 56% para 74%, colocando Florianópolis entre as principais cidades do país em saneamento. No Estado, a Casan possui em andamento 45 obras de esgoto, em 31 municípios.

Orientações

A liberação para conexão ao sistema público de esgotamento sanitário da Lagoinha também está sendo comunicada nas faturas de água que estão chegando aos moradores neste mês de janeiro. Em campo, os técnicos da companhia vão visitar casa por casa, entregando um fôlder que instrui sobre como realizar a ligação ao sistema público de esgotamento sanitário. Em caso de chuva forte as visitas serão temporariamente interrompidas. Os profissionais da Casan também estão à disposição para orientações e esclarecimento de dúvidas pelo telefone (48) 3271-4510

O trabalho prossegue nas próximas semanas. Inicialmente serão visitados moradores das ruas transversais à Avenida Jaime de Arruda Ramos, a principal desse balneário. Depois serão também visitados comércios e moradores dessa avenida.

A Casan implantou 465 ligações domiciliares na Lagoinha do Norte – a espera em frente aos imóveis, onde o morador deve ligar o seu sistema individual de esgoto. Depois de fazer sua conexão ao sistema público, o proprietário deve aterrar a fossa e sumidouro do seu terreno.

O Sistema de Esgotamento Sanitário da Lagoinha do Norte recebeu 5,6 quilômetros de redes de coleta, cinco estações elevatórias e um emissário terrestre, que encaminha o esgoto para a Estação de Tratamento (ETE).

Saiba Mais

Obras concluídas em Florianópolis:
SES Lagoinha / R$ 4,6 milhões / dezembro 2017
SES Continental / R$ 20,5 milhões / fevereiro 2017
SES Maciço Morro da Cruz / R$ 8,7 milhões / abril 2016
Duplicação ETE Canasvieiras / R$ 8,1 milhões /dezembro 2016
SES Jurerê Tradicional / R$ 18,1 milhões / Verão 2015

Obras em andamento
SES Ingleses/Santinho / R$ 84 milhões
SES Sul da Ilha / R$ 65,5 milhões

Obras em fase final de licitação
SES Saco Grande / R$ 85 milhões
Ampliação SES Insular-Itacorubi /R$ 107 milhões

Fique atento:
A conexão ao sistema público de esgotamento sanitário
De acordo com a Lei Federal 11.445/07 (conhecida como Lei do Saneamento), nos locais em que há rede disponível é obrigatória a ligação das residências e a desativação das fossas sépticas. No caso da Lagoinha do Norte, os moradores estão recebendo nas faturas do mês de janeiro um comunicado autorizando a ligação de seus imóveis à rede pública de esgotamento sanitário. As cobranças iniciais, que correspondem a 100% do valor da conta de água, serão emitidas assim que a CASAN visitar todas as residências que contam com as caixas de inspeção em frente aos imóveis.

O que lançar na rede de esgoto
Apenas esgoto doméstico deve ser colocado na rede. Não podem ser jogados absorventes higiênicos, cotonetes, preservativos, fios de cabelo, embalagens de sabonete, fio dental, fraldas descartáveis, frascos de desodorante, etc, pois são materiais que provocam entupimentos e prejudicam o tratamento do esgoto.

Esgoto e água da chuva
O esgoto é o sistema que recebe os dejetos lançados no vaso sanitário, na pia da cozinha, nos lavatórios do banheiro, no tanque e nos ralos cobertos. A água de chuva deve ir para o sistema de drenagem pluvial, e não para as tubulações de esgoto.

Caixas de gordura
Os canos de esgoto da cozinha devem ser ligados a uma caixa de gordura. Ela serve para reter a gordura que é despejada pelo ralo da pia e que vem da lavagem da louça. A gordura fica na caixa e o restante do resíduo segue pelos canos e vai para rede coletora. Essa caixa deve ser limpa periodicamente. A gordura retirada da caixa de gordura deve ser colocada em um saco de lixo e descartada junto aos demais resíduos semisólidos que serão coletados pela Comcap e levados para aterros sanitários. No caso de estabelecimentos como restaurantes, a frequência de limpeza deve ser bem maior, em alguns casos até diariamente.

(sc.gov.br, 09/01/2018)

Tags: , ,


Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.