Clipping

Assinada ordem de serviço para revitalização do Beco da Carioca




A prefeita de São José Adeliana Dal Pont assinou a ordem de serviço para o início das obras de recuperação do Beco da Carioca. O ato aconteceu no dia 17 de outubro, no coreto da Praça Hercílio Luz. A ação faz parte do processo de revitalização do Centro Histórico de São José.

“Neste momento quero expressar a minha alegria diante desta causa tão importante para o município, sinto uma emoção muito forte em poder devolver ao povo um bem tão aguardado”, revelou Dal Pont, agradecendo, também, a sensibilidade do Conselho Gestor do Fundo de Reconstrução de Bens Lesados (FRBL) do Ministério Público Estadual, que aprovou o projeto da Prefeitura com repasse de R$ 149 mil para realizar a obra.

A prefeita destacou os esforços da gestão para concretizar outras obras fundamentais para o desenvolvimento turístico da cidade. “Já estamos partindo para a terceira fase da obra do Teatro Adolpho Melo, o terceiro mais antigo do país, e iniciaremos, no próximo ano, a revitalização da orla do Centro Histórico. Nossa cidade é a quarta maior do estado, temos potencial para receber muitos turistas e vamos mostrar que podemos fazer isso muito bem”, enfatizou Adeliana Dal Pont.

Para o presidente do Conselho do FRB e promotor de justiça do Ministério Público do Estado, Fábio de Souza Trajano, contribuir com a preservação cultural da cidade é uma grandiosa satisfação. “Estamos agradecidos com a oportunidade de contribuir para o resgate do Beco da Carioca. Nossa maior motivação é receber projetos diferenciados como este, que preservam tradições e permitem o retorno dos espaços de convivência social”.

A importância histórica do local também foi mencionada pela superintendente da Fundação Municipal de Cultura e Turismo, Joice Porto. “A cidade se desenvolveu ao redor do Beco da Carioca, era o ponto de encontro das lavadeiras que vinham lavar e secar as roupas de seus patrões ao sol. Sua revitalização, além de reforçar o valor histórico, vai ampliar a visibilidade do local, tornando-o um ponto turístico em potencial na cidade”, avaliou Joice.

A solenidade contou com a presença do vice-prefeito Neri Amaral, dos vereadores Abel Veiga, Alexandre Rosa, Caê Martins, Jair Costa, Moacir da Silva, Nardi Arruda, Roinoldo Neckel, Túlio Maciel e Gilmara Vieira Bastos; além de secretários municipais, servidores e representantes da comunidade.

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal, vereador Orvino Coelho de Ávila, destacou o trabalho do vereador Caê Martins, que colaborou com criação do projeto quando coordenou a Fundação Municipal de Cultura e Turismo. “É um momento extremo de celebração e conquista para o Centro Histórico de São José. Um grande avanço que nos faz chegar mais perto do sonho de construir o Parque Municipal do Beco da Carioca”, comentou Caê Martins.

Beco da Carioca

O Beco da Carioca é uma estrutura composta de cisterna coberta, alimentada por córrego, construída de tijolos maciços e tanque com lavatórios de roupas. O que era apenas uma nascente sem infraestrutura, transformou-se em 1840 em um lavadouro público com cisterna e torneiras para a coleta de água potável.

Na época, foram instaladas 14 pedras que serviam para bater a sujeira mais insistente das roupas, trabalho realizado durante muito tempo pelas lavadeiras, escravas ou não. Da mesma forma, vinham os moradores buscar água potável para seu consumo ou para vender, entregando nas casas dos que podiam pagar.

Em 1940, o local passou por reforma, e as pedras foram substituídas por artefatos de cimento ondulados. É um dos cenários mais marcantes da centenária e tradicional Festa do Divino Espírito Santo e Patrimônio Histórico e Cultural de São José.

Revitalização do Centro Histórico

Além do Beco da Carioca, outro patrimônio histórico do município que está sendo recuperado é o Teatro Adolpho Melo. A segunda etapa das obras de restauração já foi concluída, com a recuperação total da parte externa da edificação. No momento a Fundação Municipal de Cultura e Turismo trabalha na finalização do projeto para a terceira e última fase de obras. A expectativa é realizar a licitação ainda nesse ano para começar as obras no início de 2018.

Também para o próximo ano, está previsto o início das obras da revitalização da orla do Centro Histórico e construção do trapiche. O projeto já foi apresentado para a comunidade e está em fase de licenciamento. A obra prevê construção do trapiche, de uma escadaria de contemplação, uma nova praça, bicicletário, duas quadras esportivas, mobiliário, mesas de xadrez, paisagismo, faixas elevadas para pedestres, revitalização das calçadas e do sistema de iluminação, que passará a ter lâmpadas LED.

Sobre o Fundo para Recuperação de Bens Lesados

As obras no Beco da Carioca serão realizadas com recursos do Fundo de Reconstrução de Bens Lesados (FRBL) do Ministério Público Estadual que atende a interesses da sociedade em áreas como meio ambiente e patrimônio histórico.

O fundo é administrado por um Conselho Gestor composto por representantes de órgãos públicos estaduais e entidades civis. É presidido pelo subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Fábio de Souza Trajano, e possui como conselheiros: o promotor de justiça Paulo Antônio Locatelli – MPSC – CME; a promotora de justiça Greicia Malheiros da Rosa Souza – MPSC – CCO; Andre Doumid Borges da Procuradoria-Geral do Estado; André Adriano Dick – Fatma; Michael da Silva da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania/Procon Estadual; Raquel Ribeiro Bittencourt, da Secretaria de Estado da Saúde/Vigilância Sanitária; Nadjara das Neves Pires – IGP; major Ricardo Cordeiro Comelli da Polícia Militar Ambiental – PMA; Fernando Diehl, do Instituto Ekko Brasil; José Luis Netto Menezes, da Associação FloripAmanhã; Ozair dos Santos, da Casa de Apoio Liberdade; Maurício Aurélio dos Santos, da Casa Lar Luz do Caminho, e respectivos suplentes.

(Floripanews, 24/10/2017)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.