Por Assessoria de Comunicação FloripAmanhã

Uso de Ponte Hercílio Luz e seu entorno será tema de oficina promovida pela FloripAmanhã




A Associação FloripAmanhã e a Prefeitura de Florianópolis, com apoio de uma rede de parceiros, irão promover no próximo dia 05 de outubro, a partir das 13h30, no auditório da CDL Florianópolis, a Oficina Criativa Governança em Rede para debater ideias sobre o uso da Ponte Hercílio Luz e seu entorno. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no link bit.ly/seminario-pontehluz até dia 3 de outubro. Vagas limitadas.

 

O objetivo do evento é trazer a público alguns projetos e ideias sobre o uso da Hercílio Luz e da área de seu entorno após a conclusão de sua recuperação. O Instituto do Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) irá realizar uma apresentação do projeto “Ponte Viva: Novos Caminhos para o Planejamento Urbano”. Em seguida será realizado um painel para discutir o futuro da ponte e seu entorno.

De acordo com a presidente da FloripAmanhã, Anita Pires, a partir do momento que a conclusão da restauração da Ponte Hercílio Luz se aproxima, torna-se necessário debater com atores da prefeitura, universidade, engenheiros, arquitetos e sociedade civil sobre novas formas de utilização do local.

“Para Florianópolis, a ponte é uma referência muito forte em sua história. Não é apenas uma forma física de ligação entre continente e ilha. É o símbolo da cidade: basta ver que praticamente todo material de captação de eventos traz a imagem da Hercílio Luz”, afirma.

A utilização da estrutura após a reforma ainda é uma incógnita e divide opiniões. Anita Pires afirma que a oficina da FloripAmanhã tem como objetivo apresentar e debater ideias e sugestões para que todos os grupos, coletivamente, possam buscar alternativas. “A Ponte Hercílio Luz e seu entorno pode ser utilizada não somente para o transporte, como também para uma série de atividades culturais nas cabeceiras, por exemplo”, disse.

Anita Pires ainda explica que a questão do uso da Ponte Hercílio Luz é bastante complexa: a restauração é de responsabilidade do Governo do Estado e, ao mesmo tempo, os entornos e vias de acesso são de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Florianópolis. “A nossa ponte conta com essa questão muito particular. E isso divide opiniões sobre o uso após as obras”, revela. “Pensando nisso, o IPUF está analisando cenários possíveis de utilização da ponte e dos entornos, estabelecendo um novo olhar sobre o planejamento urbano”.

A oficina conta com o apoio da CDL, Prefeitura de Florianópolis, Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CAU/SC), Movimento Traços Urbanos, Associação Catarinense de Engenheiros, Floripa Convention & Visitors Bureau, Fórum de Turismo da Grande Florianópolis, Conselho Metropolitano de Desenvolvimento da Grande Florianópolis, Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura e Grupo de Trabalho Público/Privado de Revitalização dos Espaços Públicos.

Confira a programação

13h30 – 14 horas Abertura
Associação FloripAmanhã e Prefeitura Municipal de Florianópolis – Grupo de Trabalho Público/Privado de Revitalização dos Espaços Públicos.

14h00 – Apresentação
Ponte Viva: Novos caminhos para o Planejamento Urbano – Michel Mittmann (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis)

14h50 – 16h50 – Painel: Qual o futuro da Ponte Hercílio Luz e de seu entorno?

16h50 – 17h30 – Debate

17h30 – 18h00 – Encaminhamentos e conclusões

18h00 – Encerramento

Local: Auditório da CDL Florianópolis – Rua Felipe Schmidt, 679 – Centro

Sobre a Ponte Hercílio Luz

A Ponte Hercílio Luz foi construída entre novembro de 1922 e maio de 1926 pela empresa americana Byington & Sundstrom. Ela foi inaugurada no dia 13 de maio de 1926. Inicialmente, a intenção era batizá-la como Ponte da Independência.

A opção por Hercílio Luz foi uma homenagem ao governador de Santa Catarina, um dos responsáveis pela idealização da ponte e que não conseguiu ver a obra pronta. Ele faleceu em outubro de 1924, quase dois anos antes da conclusão da obra.

A Ponte Hercílio Luz tem extensão de 821 metros, sendo formada pelos viadutos de acesso do Continente, com 222,5 metros; da Ilha, com 259 metros; e pelo vão central pênsil com extensão de 339,5 metros. A altura das torres principais é de 74,21 metros. A altura do vão pênsil em relação ao nível de maré média é de 30,86 metros. A estrutura de aço tem o peso aproximado de 5 mil toneladas, peso equivalente a 12 aviões Boieng 747-400.

Em 4 de agosto de 1992, a Ponte Hercílio Luz foi tombada como Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Município de Florianópolis. Em 13 de maio de 1997, o Governo do Estado homologou o Tombamento da Ponte Hercílio Luz, de propriedade do Estado de Santa Catarina. E no dia 15 de maio do mesmo ano, foi assinado declaração de utilidade pública para fins de aquisição por doação ou desapropriação, amigável ou judicial, os imóveis compreendidos na área de entorno. Também em 15 de maio de 1997, o Ministério da Cultura reconheceu a Ponte Hercílio Luz como Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Brasil.

A ponte foi interditada totalmente ao tráfego em 22 de janeiro de 1982. Em 15 de março de 1988, foi reaberta somente ao tráfego de pedestres, bicicletas, motocicletas e veículos de tração animal. Mas em 4 de julho de 1991, foi novamente interditada a qualquer tipo de tráfego e retirado o piso asfáltico do vão central, resultado em um alívio de peso da ordem de 400 toneladas, não tendo sido mais aberta ao tráfego.

Desde 2006 a estrutura está sendo restaurada. As obras foram retomadas em 2015 e a previsão é de que sejam concluídas em 2018.



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.