Clipping

Evento na Udesc marca lançamento do Observatório de Inovação Social de Florianópolis




Foi realizado na noite desta quinta-feira, 21, o lançamento oficial do Observatório de Inovação Social de Florianópolis (Obisf), desenvolvido por pesquisadores do Núcleo de Inovações Sociais na Esfera Pública (Nisp) e do Grupo Strategos, ambos do Centro de Ciências da Administração e Socieconômica (Esag), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em parceria com diversas instituições do poder público, da sociedade civil e do setor empresarial (leia abaixo).

O evento no Auditório da Udesc Esag reuniu autoridades, comunidade acadêmica, parceiros e financiadores da iniciativa, representantes de diversas iniciativas de inovação social e atores de suporte, além da equipe envolvida na criação e implantação do Obisf.

Uma plataforma digital e colaborativa, de acesso livre, disponível no endereço www.observafloripa.com.br, o Obisf visa mapear, dar visibilidade e fortalecer a rede do Ecossistema de Inovação Social (EIS) da Capital.

Autoridades

A mesa de abertura do evento foi composta pelo pró-reitor de Planejamento, Leonardo Secchi, representando o reitor da Udesc; o diretor-geral da Esag, Arnaldo José de Lima; a líder do Nisp, Carolina Andion; a coordenadora do Leds, Graziela Alperstedt; a diretora-executiva do Instituto Comunitário Grande Florianópolis (Icom), Mariane Nunes; e os representantes da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Walter Vicente Gomes Filho; do Impact Hub, Márcio Cabral; e da Prefeitura de Florianópolis, Katherine Schreiner.

A apresentação da plataforma ressaltou suas finalidades, recursos e potenciais aplicações. E seguida, representantes dos parceiros do Obisf deram depoimentos sobre os usos e a importância do observatório. Falaram na ocasião integrantes do Núcleo de Pesquisa Organizações, Racionalidade e Desenvolvimento (ORD), da Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), do Instituto Guga Kuerten, do Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro), do Social Good Brasil e do Fórum de Políticas Públicas.

Plataforma colaborativa

O observatório disponibiliza informações sobre dois tipos de atores que compõem a rede do EIS do município: as iniciativas de inovação social, que promovem soluções para problemas públicos; e os atores de suporte, que as apoiam em termos de financiamento, formação, aceleração, promoção do empreendedorismo social, pesquisa e outros.

As informações são fornecidas pelas próprias iniciativas e atores de suporte, que podem se cadastrar para incluir os dados diretamente no sistema. O conteúdo é complementado e validado pela equipe do Obisf, que também faz um acompanhamento sistemático de algumas experiências de inovação social da rede.

A implantação da plataforma incluiu a atuação dos pesquisadores junto às organizações parceiras e aos atores cadastrados, em um processo colaborativo, no qual os primeiros identificados indicavam outros com os quais se relacionavam.

Quase 400 atores mapeados

Por ocasião do lançamento, já haviam sido mapeados 394 atores do EIS de Florianópolis. Desses, 195 são atores de suporte e 199 iniciativas de inovação social.

Além das mapeadas, 26 iniciativas foram observadas de perto pelos pesquisadores, tendo sido cadastradas informações mais detalhadas sobre elas, como os problemas públicos que buscam responder, as soluções propostas, tecnologias e metodologias que utilizam, outras iniciativas com as quais atuam em parceria e principais suportes que a apoiam.

Para as pesquisadoras, a observação detalhada realizada pela equipe do Obisf permite ver melhor a rede e as interações que compõem o ecossistema.

Interação e aprendizagem

Segundo as coordenadoras do observatório, Carolina Andion e Graziela Alperstedt, uma das finalidades da plataforma é “promover a interação, o intercâmbio e a aprendizagem coletiva entre os atores do EIS, reforçando experiências de inovação social e ampliando sua incidência nas arenas públicas da cidade”.

A continuidade do projeto inclui a realização de uma série de ações conjuntas com parceiros,  iniciativas de inovação social e atores de suporte cadastrados, visando promover, a partir dos dados disponibilizados na plataforma, a co-construção de conhecimento sobre os processos de inovação social que estão acontecendo em diferentes campos de causa em Floripa.

Como participar?

No final do evento, as coordenadoras lembraram da importância dos coletivos e organizações cadastradas completarem suas informações e do cadastramento daqueles que atuam com inovação social na cidade, que ainda não fazem parte do mapeamento.

“Atores já cadastrados podem modificar ou atualizar suas informações diretamente na plataforma. Para isso é necessário solicitar a equipe uma senha. Já aquelas que ainda não estão cadastradas podem incluir seus dados online no momento do cadastramento”, informa a professora Carol.

Mais informações com a equipe do Obisf, pelo e-mail observafloripa@gmail.com.

Observatório de Inovação Social de Florianópolis (Obisf)

  • Desenvolvido na Udesc Esag, pelo Núcleo de Inovações Sociais na Esfera Pública (Nisp) e o Grupo de Pesquisa Strategos, em conjunto com o Laboratório de Educação para a Sustentabilidade e Inovação Social (Leds).
  • Parceiros: Cepagro, Fundação Certi, Instituto Guga Kuerten, Instituto Vilson Groh (IVG), Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICom), Impact Hub Floripa, Núcleo de Pesquisa ORD da Ufsc, Prefeitura de Florianópolis (PMF), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Social Good Brasil e Territoires Innovants en Economie Sociale et Solidaire (Tiess) de Montreal no Canadá.
  • Financiamento: Udesc, Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Instituto de Cidadania Empresarial (ICE).

(Udesc, 22/09/2017)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.