Projeto Museus Virtuais abre inscrição para as sessões a partir de 20 de julho
14/07/2017
Vigilância Sanitária reduz tempo para análise de projetos na Capital
14/07/2017

Descaso de Palhoça com saneamento básico polui água da Grande Florianópolis

O meio ambiente está pagando a conta pelos dez anos de atraso na implantação de uma política de saneamento básico para a cidade de Palhoça. O problema que teve início com a municipalização do abastecimento de água e da coleta de esgoto da cidade, em 2007, pode causar prejuízos também para populações vizinhas. Dados da Aris (Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento) revelaram que, sem a cessão da água e do saneamento para uma nova empresa e com os problemas registrados com as tentativas de concessão, apenas 10% da cidade é coberta por rede de esgoto. Como resultado, rios importantes, como o Cubatão do Sul, estão poluídos.

Em março deste ano a ONG (Organização Não Governamental) Sea Shepherd entregou ao município o relatório de uma expedição que detectou que o rio Cubatão do Sul já possui dez vezes mais coliformes fecais que o permitido. Vasto material fotográfico flagrou o despejo de esgoto nas redes de água pluvial, que desembocam diretamente no rio ou em seus afluentes, problema que seria mitigado com a implantação de redes e o tratamento do esgoto.

“O problema da poluição na baía sul e seus estuários é complexo por uma série de fatores e por vários responsáveis, entre os mais importantes o município de Palhoça que despeja grande parte de seu esgoto doméstico e industrial de forma inadequada, contaminando toda a baia”, diz o coordenador do núcleo da ONG em Santa Catarina, Luiz Antonio. Na opinião dele, está mais do que na hora de o poder público se comprometer com a questão e trabalhar em conjunto com os municípios vizinhos. “Precisamos unir todos os interessados: população, poder público e privado e traçar metas e métodos eficientes e modernos no tratamento do esgoto. Precisamos entender que o meio ambiente é uma das maiores riquezas que temos e precisamos preservar para termos qualidade de vida”, continuou.

Ontem, mais uma vez o município foi procurado e nada informou sobre o problema ou suas ações

(Leia na íntegra em Notícias do Dia Florianópolis, 13/07/2017)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *