Clipping

Ciclista invisível




Em 2015 e 2016, 53 ciclistas morreram e 641 ficaram feridos nas estradas que cortam Santa Catarina. Em 2017, já há nove óbitos. As próprias polícias rodoviárias reconhecem que falta infraestrutura e são claras ao recomendar que atletas e quem usa a bike como meio de transporte evitem SCs e BRs. Para que sejam contemplados com obras viárias adequadas, entidades pedem a criação de uma secretaria exclusiva, mas a reivindicação não encontra eco no Estado. Para torná-los visíveis à sociedade e ao poder público, ativistas têm feito protestos, criado associações, pintado faixas nas ruas e produzido placas de sinalização que os insiram, ainda que simbolicamente, no contexto do congestionado e violento trânsito das cidades.

Leia na íntegra em Diário Catarinense, 04/05/2017



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Um comentário para Ciclista invisível

  1. Investir na educaçao de quem usa bicicleta! Olhe quanta gente indo de bicicleta no sentido errado, e pense em quantos acidentes poderia evitar o conhecimento de regras basicas do transito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.