Clipping

Obras da nova ponte da Barra da Lagoa são retomadas e prazo para entrega é adiado para novembro




Após 16 meses parada, a obra da nova ponte da Barra da Lagoa, no leste da Ilha, aos poucos está sendo retomada. Desde a semana passada, caminhões levam para o local materiais de construção. Conforme o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), o prazo para conclusão, antes previsto para julho — depois de já ter sido prorrogado outras vezes — foi adiado para novembro deste ano. Em junho do ano passado, o prazo dado encerrava antes de dezembro de 2016.

O engenheiro da Diretoria de Manutenção e Operação do Deinfra, Delbi Joel Canarin, explica que foi necessário um aditivo de R$ 425 mil ao projeto original para atender o pedido da população da Fortaleza da Barra: o acesso às ruas Rafael Linhares e Laurindo José de Souza. O projeto original não previa acesso direto à comunidade, e durante a derrubada da ponte atual, os cerca de 1,5 mil moradores ficariam isolados. Por esse motivo a comunidade protestou e cobrou a reformulação do projeto.

A nova ponte é uma antiga demanda, já que a atual está em péssimas condições e a nova será mais alta, permitindo a passagem de embarcações maiores para a Lagoa da Conceição.

Ainda não há prazo para a derrubada da ponte antiga. Conforme Canarin, é necessário autorização da Marinha. Para diminuir os transtornos no trânsito, será demolida primeiro somente metade da estrutura. O engenheiro explica como ficará o trânsito nessa fase:

— Quem vier pela Barra da Lagoa vai passar pela ponte nova [que já tem uma via erguida]. E quem vier da Lagoa da Conceição passará pela metade da ponte velha.

O líder comunitário Gilson Bittencourt, de 61 anos, membro da comissão eleita pela comunidade para acompanhar a modificação do projeto, reclama que o Deinfra ainda não apresentou para o grupo essas modificações do projeto.

— A gente precisa da ponte nova, a velha está caindo aos pedaços, pondo em risco a vida das pessoas. Mas se a gente não souber como vão ficar os acessos, eles vão ter que lidar com mais protestos dos moradores.

Sobre a ponte

A atual estrutura, que tem cerca de 40 metros de extensão, será demolida para dar lugar à nova ponte, com 50 metros de extensão e 6 metros de altura. No novo projeto, também será retirado o pilar central, que na ponte atual prejudica o fluxo da água.

A empresa que executa a obra é a BTN Construtora. O contrato tinha valor inicial de R$ 2.985.408,78, também prevendo serviços de terraplenagem, drenagem, sinalização e obras complementares, incluindo a demolição da estrutura antiga. A ponte ainda terá passagem para pedestres e ciclovia.

O Governo do Estado deveria arcar com R$ 2 milhões, e empresários da região com os R$ 985,4 mil restantes. No entanto, a obra ficou mais cara por conta do aditivo e de reajustes.

Valor original: R$ 2.985.408,78

Valor aditado: R$ 424.905,48

Valor dos reajustes: R$ 83.208,51

Valor atual: R$ 3.410.314,26

(Diário Catarinense, 04/04/2017)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.