Clipping

Defesa da vida pelos biomas é o tema da Campanha da Fraternidade 2017




A Campanha da Fraternidade 2017 foi lançada em Santa Catarina nesta quarta-feira (1º) na Cúria Metropolitana, em Florianópolis, pelo arcebispo Dom Wilson Tadeu Jönck. Com o tema “Biomas brasileiros e a defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação”, a campanha deste ano tem como o objetivo levantar o debate sobre a necessidade da preservação da natureza. A apresentação contou com a presença do doutor em biologia e professor Ademir Reis e da coordenadora da Campanha da Fraternidade, a pedagoga Adelir Raupp.

“A população precisa tomar consciência dos danos ao meio ambiente, que são provocados diariamente. Gostaríamos que a campanha fosse um incentivador para a proliferação de ações de saneamento básico, além da preservação dos rios e das matas. Não podemos ter uma religiosidade que esqueça que vivemos em sociedade e estamos no mesmo ambiente. A igreja sempre teve como convicção de colaborar com o desenvolvimento de idéias e apoiar as boas iniciativas”, destaca o arcebispo.

O cartaz da campanha apresenta o mapa do Brasil em imagens características de cada região, evidenciando a beleza natural do país e onde podem ser identificados os seis biomas brasileiros. A maior biodiversidade da América do Sul está presente na Mata Atlântica, ainda que restem apenas 6% da floresta original. Vivem neste bioma 20 mil espécies de plantas (7,2% do total mundial), 263 espécies de mamíferos (5,2%), 963 espécies de aves (9,5%), 475 espécies de anfíbios (8,6%), 306 espécies de répteis (3,7%) e 350 espécies de peixes de água doce (3,1%).

Para o professor e doutor em biologia Ademir Reis, a população precisa aprender a preservar pela própria consciência e, não, pelo cumprimento de decisões judiciais. “As regiões de restingas e manguezais sofrem as maiores pressões sociais, seja pelos grandes bolsões de pobreza ou pelos grandes empreendimentos. Os rios, as plantas e os animais precisam de proteção. As hidrelétricas detonaram o meio ambiente no Rio Uruguai e as araucárias continuam sendo derrubadas no planalto”, alerta o especialista.

Os números de SC

São mais de 4,5 mil espécies de plantas;

Mais de 144 estão ameaçadas de extinção;

125 espécies estão extintas;

Não há informações sobre 45 espécies;

275 animais estão ameaçados de extinção.

Fonte: Herbário Barbosa Rodrigues

Objetivos da Campanha da Fraternidade 2017

– Aprofundar o conhecimento de cada bioma, das belezas, significados e importância para a vida no planeta, particularmente para o povo brasileiro.

– Conhecer melhor e nos comprometer com as populações originárias, reconhecer seus direitos, sua pertença ao povo brasileiro, respeitando sua história, suas culturas, seus territórios e seu modo específico de viver.

– Reforçar o compromisso com a biodiversidade, os solos, as águas, nossas paisagens e o clima variado e rico que abrange o chamado território brasileiro.

– Compreender o impacto das grandes concentrações populacionais sobre o bioma em que se insere.

– Manter a articulação com outras igrejas, organizações da sociedade civil, centros de pesquisa e todas as pessoas de boa vontade que querem a preservação das riquezas naturais e o bem-estar do povo brasileiro.

– Comprometer as autoridades públicas para assumir a responsabilidade sobre o meio ambiente e a defesa desses povos.

– Contribuir para a construção de um novo paradigma econômico ecológico que atenda às necessidades de todas as pessoas e famílias, respeitando a natureza.

– Compreender o desafio da conversão ecológica a que nos chama o nosso Papa Francisco na carta encíclica Laudato Si’ e sua relação com o espírito quaresmal.

(Notícias do Dia Florianópolis, 01/03/2017)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.