Última reunião do ano do Plano Diretor de Florianópolis é marcada por críticas ao projeto
19/12/2016
Florianópolis tem 100 toneladas de lixo acumulado em paralisação parcial
19/12/2016

Comércio de Florianópolis fecha as portas contra ambulantes ilegais

Comerciantes, empresários e vendedores do Centro de Florianópolis fecharam os estabelecimentos comerciais por alguns minutos e protestaram contra os ambulantes ilegais, que comercializam desde frutas a celulares. Com faixas e placas, eles percorreram as principais ruas do entorno do calçadão da Felipe Schmidt cobrando mais fiscalização dos órgãos públicos. Em resposta, o prefeito Cesar Souza Júnior (PSD) afirmou que apenas está “enxugando gelo” e que a gravidade da situação pede a ação das polícias Civil e Federal e do Inmetro, em virtude das mercadorias falsificadas, contrabandeadas e brinquedos.

A comerciante Ana Paula Pereira, 44, que gera emprego e paga impostos, vestiu o nariz de palhaço e foi protestar. “Trabalho de 12 a 14 horas por dia para pagar os meus impostos em dia e as minhas obrigações com os funcionários. A gente vê a fiscalização passando pelos ambulantes sem fazer nada e cobrando as lojas. Quem ganha com isso? Precisava era punir quem compra e não gera impostos para a cidade, porque depois estará reclamando da falta de serviços públicos”, dispara.

O movimento durou uma hora e quase todos os comércios fecharam as portas. A organização estima a participação de quase 1.500 pessoas. O gerente de articulação e negócios da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Florianópolis), Hélio da Silva Leite Júnior, lembra que a manifestação foi contra a falta de fiscalização contra tudo que é ilegal na cidade.

“Somos contra a total inércia e a falta de fiscalização do poder público. Em um ano de grave crise financeira, a esperança do comércio era recuperar as vendas com o Natal, mas a invasão de ambulantes ilegais repercute diretamente no faturamento das lojas. Existem ramos de atividades que são afetados em até 30%. O pior também são os danos causados à saúde pelos produtos falsificados”, afirma.

Para o vice-presidente da CDL, Lidomar Bison, os jovens de 18 a 24 anos são os maiores consumidores dos produtos comercializados ilegalmente.

Leia na íntegra em Notícias do Dia Florianópolis, 19/12/2016.

mm
Assessoria de Comunicação FloripAmanhã
A Assessoria de Comunicação da FloripAmanhã é responsável pela produção de conteúdo original para o site, newsletters e redes sociais da Associação. Também realiza contatos e atende demandas da imprensa. Está a cargo da Infomídia Comunicação e Marketing Digital. Contatos através do email imprensa@floripamanha.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *