Clipping

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável chega a segunda etapa na Grande Florianópolis




O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis, desenvolvido pelo Governo do Estado, começará a sua segunda etapa em março. A primeira fase encerrou no último sábado, 8, com a coleta de dados nas praias da pesquisa “Origem/Destino” de veraneio. Cerca de 2 mil frequentadores de 16 diferentes praias da Grande Florianópolis, entre turistas e moradores responderam questões sobre onde estão hospedados, de onde vieram, para onde irão após a estada na praia e quais meios de transporte estão utilizando. As informações são da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado.

Tais informações, somadas às que serão colhidas nas próximas etapas de entrevistas do PLAMUS, servirão como base para o mapeamento preciso das condições de mobilidade na região metropolitana e darão suporte ao desenvolvimento de soluções que facilitem o deslocamento das pessoas nos 13 municípios que compõem o estudo.

A equipe de entrevistadores esteve nas praias da Barra da Lagoa, Santinho, Ingleses, Canasvieiras, Ponta das Canas, Jurerê, Mole, Joaquina, Campeche, Armação, Matadeiro, Pântano do Sul e Açores, localizadas na Ilha de Santa Catarina, e nas praias de Palmas (Governador Celso Ramos), Pinheira e Sonho (ambas na Palhoça). As praias foram selecionadas por serem as mais disputadas pelos turistas durante a alta temporada.

Dante Fellipo Andrade, estudante de Química da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), participou da pesquisa realizada nas praias entrevistando turistas e frequentadores locais. Ele comenta que a maioria dos entrevistados quer ir além das respostas às questões que são colocadas: “As pessoas se empolgam e querem explicar e compartilhar suas soluções para a mobilidade e outras questões da cidade. Então a gente acaba coletando também milhões de palpites e ideias diferentes.”

O colombiano Carlos Gonzáles, que está fazendo mestrado em engenharia de automação na UFSC, também participa como pesquisador da coleta de dados. A experiência para ele é curiosa porque sua cidade natal, a capital colombiana Bogotá, passou por um processo intenso de reforma urbana que acabou se tornando um modelo para outras cidades. Um dos pontos fortes das soluções aplicadas em Bogotá é o Transmilênio que tem por base o sistema de transporte BRT [Bus Rapid Transit]. Gonzáles observa que o sistema Transmilênio transporta cerca de 1,5 milhão de pessoas diariamente, um número superior à população de Florianópolis: “Bogotá é uma cidade muito grande, com muitas linhas de ônibus e pode-se ir de Norte a Sul, de um lado para o outro facilmente”, explica Gonzáles, que foi selecionado entre os pesquisadores para entrevistar os turistas em sua própria língua.

Para auxiliar na coleta de informações, os pesquisadores utilizaram um aplicativo que facilita o preenchimento do questionário com a ajuda de tablets e sincroniza as respostas dadas pela população com uma central de análise. Os dados coletados na etapa de veraneio serão compilados junto às informações que serão obtidas nas próximas fases da pesquisa e fornecerão um panorama atualizado da situação na região.

Segunda etapa: pesquisa domiciliar e participação popular

A próxima fase da pesquisa de Origem/Destino será realizada entre março e junho e consistirá na visita a cerca de 5 mil residências, nos 13 municípios da Grande Florianópolis. Os domicílios serão escolhidos por sorteio e os moradores selecionados receberão uma carta de aviso prévio explicando o trabalho que os pesquisadores irão realizar e informando uma senha de segurança. Esta senha deverá ser repetida pelo entrevistador no ato da visita, para garantir tanto a segurança do entrevistado quanto a idoneidade do pesquisador.

Também nesta etapa serão realizadas oficinas, envolvendo as organizações da sociedade civil e os setores técnicos das prefeituras, entre outros. O objetivo é o levantamento de dados para estudo e diagnóstico de questões como, por exemplo, zoneamento e desenvolvimento urbano, modelo institucional, gestão da mobilidade e melhores práticas.

O Plano

O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado de Santa Catarina com apoio técnico e financeiro do BNDES. O objetivo é promover a melhoria da mobilidade urbana em 13 municípios da Região Metropolitana de Florianópolis: Anitápolis, Rancho Queimado, São Bonifácio, Angelina, Antônio Carlos, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara, Santo Amaro da Imperatriz, Biguaçu, Governador Celso Ramos, São José, Palhoça e Florianópolis.

(Deolhonailha, 18/02/2014)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.