Clipping

Mudanças no transporte público da Capital reduzirão tráfego de ônibus nas pontes que ligam a Ilha ao Continente




Pelo mesmo preço, com muito mais tecnologia e um terminal integrado ao sistema de transporte coletivo. Este é o projeto que a prefeitura de Florianópolis vai levar para a audiência pública marcada para segunda-feira.

A proposta incluiu a utilização do terminal de Capoeiras, desativado há 10 anos, e a criação de um aplicativo para celular e tablet. Tudo com a mesma tarifa existente hoje.

A prefeitura aposta na licitação do transporte coletivo para dar uma resposta aos cidadãos num setor que foi o ponto de partida das manifestações em junho deste ano, que levaram milhares às ruas em Florianópolis.

A concorrência é vendida como um divisor de águas para um sistema mais racional, moderno e eficaz. A promessa é que o edital seja lançado neste mês e o vencedor anunciado até o final do ano.

As principais mudanças passam por anexação de tecnologias para que passageiros tenham mais acesso a informações e a ativação do terminal de Capoeiras. Além de receber passageiros de outras cidades, ele servirá de base para uma linha que conectará os bairros da parte continental de Florianópolis.

Hoje, para ir de um ponto a outro do Continente, é preciso pegar um ônibus até o Centro e cruzar duas vezes as congestionadas pontes Pedro Ivo e Colombo Salles.

A expectativa da prefeitura é que, quando os novos ônibus passarem a operar, a população conte com uma frota mais nova e com câmeras em todos os veículos. Um ponto que levanta muitas discussões e deve ser bastante debatido na audiência pública é o ar-condicionado. As opiniões são bem divididas sobre o assunto.

Todas as melhorias serão custeadas pela empresa ou consórcio vencedor. O contrato também prevê que haverá penalidades em caso de falta de qualidade ou interrupção do serviço. Greves podem ser punidas até com fim da concessão.

:: Aplicativo

O edital prevê o desenvolvimento de aplicativo para tablet e celular. O sistema vai estar interligado aos equipamentos de GPS instalados nos ônibus. A intenção é mostrar a localização de cada veículo e o tempo que vai demorar para ele chegar até aonde o usuário está à espera. O passageiro não vai precisar pagar nada para baixar o aplicativo.

:: GPS

Todos os ônibus terão GPS e o equipamento servirá para alimentar painéis instalados nos pontos, informando aos passageiros o tempo para chegada do veículo. Para que não seja uma estimativa fora da realidade, o sistema tem a capacidade de interpretar se a média de velocidade está aumentando ou diminuindo, e assim ajustar a espera.

:: Viagens extras

Pela leitura do cartão será possível saber em tempo real quantas pessoas estão no ônibus, se eles estão lotados. Desta maneira, a central de gerenciamento pode ordenar a saída de ônibus extras para atender a demanda. O sistema também mostrará onde as pessoas embarcam e descem, permitindo ajustes e melhorias no transporte coletivo.

Empresas esperam avaliar edital para falar de viabilidade

A proposta não convence o sindicato dos trabalhadores (Sintraturb) que considera tudo apenas discurso de um jogo de cartas marcadas e que terá os mesmos empresários vencedores. O diretor Deonísio Linder diz que o que vai mudar é a cor dos ônibus.

O presidente do sindicato dos empresários (Setuf), Waldir Gomes, defende a concorrência e afirma que é preciso avaliar o edital para responder se as melhorias não interferem no preço da passagem.

Fonte: DC

(DC, 07/09/2013)



Notícias Relacionadas




Comente no Facebook

comentários

Um comentário para Mudanças no transporte público da Capital reduzirão tráfego de ônibus nas pontes que ligam a Ilha ao Continente

  1. A ativação do terminal de capoeiras deve trazer dois problemas. Aumento do custo do transporte para os passageiros de São José e Palhoça. E o transbordo que esses passageiros deveram fazer. O problema não é o grade numero de ônibus que entra em Florianópolis, mas sim o de carros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira inclui a possibilidade de se penalizar blogs e sites pelo conteúdo publicado, mesmo comentários de terceiros. Portanto, a Associação FloripAmanhã se reserva o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos diferentes do tratado no site também poderão ser eliminados. Queremos manter um espaço coletivo de debates em torno de ideias. Façamos bom proveito para o melhor de nossa cidade.