Renovada a certificação Bandeira Azul para a Praia do Tombo (SP) e Marina Costabella (RJ) para a temporada 2011/2012
06/10/2011
Solução ambiental polêmica em Florianópolis
06/10/2011

Santa Catarina em Dados 2011 consolida Estado como referência nacional em desenvolvimento econômico e social

Os números do Santa Catarina em Dados 2011, anuário publicado pela Federação das Indústrias (Fiesc), reforçam: Santa Catarina é referência entre os estados brasileiros em desenvolvimento social e econômico. Dono do maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita do país, o Estado tem também a maior expectativa de vida ao nascer (75,8 anos), é líder nacional na produção pesqueira e de carne suína, possui uma indústria de transformação bastante diversificada e uma população predominantemente urbana, com acesso a serviços básicos como energia elétrica e abastecimento de água.

A publicação da Fiesc já se firmou como importante fonte de consulta para empresários. Trata-se de um amplo raio-x, que traz dados nacionais, estaduais e regionais sobre emprego, indicadores sociais, produção de todos os segmentos e comportamento da indústria. O Noticenter preparou um resumo das principais informações. Nesta edição, você também pode baixar o estudo completo, com informações completas e precisas sobre o desempenho catarinense em diversas áreas.

CATARINENSES VIVEM MAIS

Boa notícia para quem nasce em Santa Catarina: o Estado tem a melhor expectativa de vida do país, empatado com o Distrito Federal (DF). Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o catarinense vive, em média, 75,8 anos. São cerca de dois anos e meio a mais do que a média brasileira, que é de 73,1 anos. O índice é um pouco superior ao registrado na Europa, onde a expectativa de vida média é de 75,6 anos.

As mulheres puxam o índice para cima em Santa Catarina. Enquanto eles vivem 72,6 anos – também a maior média entre os homens no Brasil –, elas chegam aos 79,1 anos, perdendo somente para o Distrito Federal (79,6) e o Rio Grande do Sul (79,3).

O estado brasileiro com a pior expectativa de vida é Alagoas, onde as pessoas vivem em média 67,6 anos. Apesar da grande diferença – pouco mais de oito anos –, houve evolução nos últimos anos. Entre 1999 e 2009 – ano dos últimos dados disponíveis –, a expectativa de vida média dos brasileiros saltou 3,1 anos. A melhora nos indicadores de saneamento básico, escolaridade e saúde justificam o crescimento, segundo o IBGE.

No mundo, ninguém vive mais que os japoneses. No país oriental, a expectativa média de vida chega aos 82,7 anos.

O PESO DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

A indústria de transformação catarinense é a quarta do país em quantidade de empresas e a quinta em número de trabalhadores. O setor têxtil representa a principal atividade econômica do Estado. São 9.264 empresas, que empregam 172,8 mil pessoas e respondem por 18,7% do valor da transformação industrial de Santa Catarina.

Em número de indústrias, em seguida aparece o segmento de Metalurgia e Produtos de Metal, com 3.427. O setor alimentar é o segundo que mais emprega – 98,6 mil trabalhadores – e é também o vice-líder no valor da transformação industrial do Estado, com 17,4%.

Somando os 13 principais setores da economia (Têxtil; Alimentos; Metalurgia e Produtos de Metal; Veículos automotores/Peças; Máquinas e Equipamentos; Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos; Mobiliário; Madeira; Celulose e Papel; Indústria Naval; Cerâmica; Produtos de Plástico e Tecnologia/Informática), Santa Catarina tem cerca de 26,9 mil indústrias.

A grande variedade garante ao Estado a liderança na América Latina na produção de parafusos e porcas, peças e componentes para bicicletas, tubos e conexões de plástico, etiquetas tecidas, camisetas de malha, blocos e cabeçotes para motor, compressores de ar a pistão, fitas elásticas e rígidas, motores e geradores e transformadores elétricos.

PIB É O SEXTO MAIOR DO PAÍS

O Produto Interno Bruto (PIB) de Santa Catarina é o sexto maior do país. Em 2008 – ano dos últimos dados disponíveis –, a economia do Estado movimentou R$ 123,28 bilhões, perdendo apenas para São Paulo (R$ 1,00 trilhão), Rio de Janeiro (R$ 343,18 bilhões), Minas Gerais (R$ 282,52 bilhões), Rio Grande do Sul (R$ 199,49 bilhões) e Paraná (R$ 179,27 bilhões).

O setor terciário (serviços) participa com 57,5%, enquanto o secundário (indústrias) responde por 34,4%. O setor primário (agricultura, pecuária e extrativismo) corresponde a 8,0%. Em relação ao PIB per capita, o Estado é líder nacional, com R$ 6,08 mil, superando São Paulo (R$ 5,95 mil).

EM UM ANO, TURISMO GEROU QUASE R$ 10 BILHÕES

Entre julho de 2008 e junho de 2009, os 21,5 milhões de turistas que passaram por Santa Catarina movimentaram R$ 9,82 bilhões. De acordo com dados da Santur, a esmagadora maioria dos visitantes veio do Brasil – apenas 4,9% deles eram estrangeiros. Em média, eles permaneceram 5,84 dias no Estado, gastando R$ 79 por dia.

Os argentinos seguem sendo nossos principais turistas estrangeiros (78,53%), seguidos dos chilenos (14,93%) e uruguaios (2,46%).

Fotos: Divulgação
Turistas vêm a SC atraídos pelas belezas naturais, como as praias, que ficam lotadas no verão

QUASE 84% DA POPULAÇÃO É URBANA

Santa Catarina tem 6,24 milhões de habitantes, de acordo com dados mais recentes do IBGE. No total, 5,24 milhões vivem em área urbana, o equivalente a quase 84% da população. As mulheres ainda são maioria, apesar de a diferença já ter sido maior. No Estado, residem hoje 3,14 milhões de mulheres e 3,10 milhões de homens.

LARES BEM SERVIDOS

Das quase duas milhões de unidades domiciliares registradas em Santa Catarina, 99,09% têm abastecimento de água, 99,5% possuem energia elétrica, 90,70% contam com telefone e 99,64% possuem esgoto sanitário. O problema é que a rede coletora deste esgoto ainda é precária: apenas 24,80% das casas a possuem. Ainda segundo dados do IBGE, 47,41% dos lares do Estado possuem computador e 36,53% têm acesso à internet.

PRODUÇÃO ANIMAL

Santa Catarina é líder nacional na produção de carne suína, com 22,9% do mercado nacional. Em 2010, foram produzidas 747 mil toneladas. Em seguida aparece o Rio Grande do Sul, com 589 mil toneladas no ano passado. O Estado também é líder no país em produção pesqueira – somando pesca extrativa e aqüicultura –, com 207 mil toneladas no último ano.

Com 747 mil toneladas por ano, Estado é responsável por 23% da produção nacional de suínos

Outro destaque fica por conta da produção de frango. Santa Catarina é o vice-líder nacional, com 899 milhões de cabeças abatidas em 2010, equivalente a 18% da produção nacional. O primeiro lugar é do Paraná, que abate 1,31 bilhão de cabeças por ano, respondendo por 26,4% da produção nacional.

(Pedro Machado, Noticenter, 05/10/2011)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *