Dois TAC são assinados na Floram
28/09/2011
Florianópolis terá Semana de Ciência e Tecnologia em outubro
29/09/2011

Florianópolis de costas para o turismo

Ônibus e vans do setor não têm onde parar e disputam espaço com transporte executivo no Centro da Capital

Perto de encarar mais uma temporada de verão, Florianópolis, a Capital Turística do Mercosul responsável por receber um terço dos turistas que vêm a Santa Catarina, virou as costas para o turismo. Além do sucateamento do Portal Turístico da cidade, já denunciado pelo ND, com a transferência de todo o transporte executivo municipal para as plataformas do Terminal Cidade de Florianópolis, o setor perdeu o único ponto de recepção aos visitantes que chegam com agências de viagens. Quem trabalha na área pede uma solução imediata e eficaz.

Até 2008, cerca de 370 vans e ônibus de turismo credenciados na prefeitura utilizam duas das cinco plataformas do Terminal Cidade de Florianópolis, localizado nas imediações do Centro Histórico e turístico da Capital. De 2009 até hoje, apenas a plataforma 5 serve para o embarque e desembarque de turistas. De acordo com o presidente do Sindicato das Transportadoras Turísticas da Grande Florianópolis Sandro Silveira, o ponto já era um velho conhecido dos visitantes. “Quem chegava à cidade já sabia de onde os passeios e as excursões partiam, agora, depois da mudança, ninguém sabe mais nada”, conta.

Hoje, no espaço onde os ônibus de turismo partiam, funciona o embarque e desembarque das linhas executivas do transporte municipal. No entanto, sem informação suficiente e sem ter onde parar, ambos estão dividindo o mesmo espaço. Até para quem trabalha há mais de três décadas na área, a situação está confusa e insustentável. “Não sabemos o que fazer, nem o que dizer aos visitantes. É um absurdo, Florianópolis não ter um local apropriado para embarque e desembarque de turistas. Precisamos de uma solução definitiva para o problema” diz o motorista Sérgio Stalin, há 35 anos como agente de turismo.

Segundo o proprietário de uma agência de viagem da Capital, Márcio José, o setor precisa de um local amplo e eficaz para abrigar os ônibus e vans que promovem a recepção dos turistas na cidade. Ele acredita que se este espaço não for encontrado nos próximos meses, muitos dos serviços oferecidos terão que ser suspensos. “Como vamos lotar uma van para fazer um passeio de compras no Centro se não teremos um local para desembarcar as pessoas?”, questiona.

Quase um milhão de turistas para o verão

Se na baixa temporada a falta de espaço para as vans e ônibus de turismo já preocupa, no verão o problema será ainda mais gritante. De acordo com dados da Santur (Santa Catarina Turismo), desde 2009 Florianópolis recebe em média 750 mil turistas nos meses de janeiro e fevereiro. Segundo o presidente do órgão Valdir Walendowsky, 90% deste total chega à Ilha de ônibus ou de carro. “Não sabemos ao certo quantos deles chegam por meio de agências de viagens, mas certamente, é um número bem expressivo”, diz.

Valdir lembra que na última temporada somente uma empresa de fretamento de turistas lotou 20 ônibus em um mês, o que sinaliza a demanda na área. “Na minha visão, este é um problema que precisa ser resolvido em conjunto, entre secretaria de transportes e de turismo”, observa.

Espaço deverá ser definido até o fim da semana

De acordo com o secretário-adjunto de turismo de Florianópolis, Carlos Alberto da Silva, está sendo discutido o problema com o Ipuf (Instituto de Planejamento de Florianópolis) e até o fim desta semana a prefeitura definirá qual será o novo local de embarque e desembarque de turistas no Centro da cidade. “Temos pouco espaço no Centro, mas entendemos a necessidade de encontrar um adequado e é o que devemos definir ainda esta semana”, afirma.

Falta de espaço e de informação

Ao chegar a Florianópolis, não ter onde desembarcar não é o único problema que poderá ser enfrentado pelos turistas nesta temporada. O Portal Turístico, localizado ao lado das pontes que dão acesso à Ilha, está sucateado. Fora de temporada, cinco ou seis guias turísticos autorizados permanecem no local, porém, sequer um copo de água pode ser oferecido ao turista.

Na sala onde teoricamente os visitantes são recepcionados para receber mapas e outras informações da cidade, o teto está cedendo e a janela quebrada. De acordo com o secretário de Turismo, Cultura e Esporte de Florianópolis, Vinicius Lummertz, ainda não há nenhum projeto definitivo para ampliar o serviço de informações aos visitantes do município.

OPINIÃO

“A prefeitura precisa encontrar uma solução permanente, que não mude com o tempo. Afinal, o turista tem que chegar à cidade e saber onde irá desembarcar. No meu ver, este local precisa ser amplo e deve estar bem localizado”.

Ernesto São Thiago, diretor de turismo da Acif (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis)

“Este é mais um absurdo que nos deparamos quando o assunto é turismo. Florianópolis precisa, com urgência, passar a receber melhor os turistas, desde o desembarque até o retorno”.

Tarcísio Schmitt, presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Florianópolis.

“Não existe um bom destino, sem uma boa recepção. O turismo precisa de um espaço digno na cidade”.

Valdir Walendowsky, presidente da Santur (Santa Catarina Turismo).

(Por Aline Rebequi, ND, 28/09/2011)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *