Museu Victor Meirelles com as portas fechadas
25/08/2011
Museu Histórico prepara duas novas exposições em Florianópolis
25/08/2011

A cultura entra na roda no Projeto Palco Giratório

Projeto Palco Giratório oferece espetáculos gratuitos de música, teatro e dança em Florianópolis, Joinville e Jaraguá, a partir do dia 1º de setembro

A maratona cultural gratuita do Sesc está para começar. É hora de se programar para curtir as atrações em cartaz no próximo mês em Florianópolis, Joinville e Jaraguá do Sul, que fazem parte do Palco Giratório. A partir do dia 1º de setembro, Santa Catarina e outros oito estados terão 18 dias de programação cultural, incluindo dança, música, teatro, contação de histórias, oficinas e debates.

As diferentes formas de arte se integram em apresentações de grupos de todo país, especialmente selecionados para o projeto. Neste ano, Santa Catarina recebe a 8ª edição do evento, reunindo 16 companhias originárias de nove estados brasileiros. Todas passam por Florianópolis. Os grupos também se dividem entre Joinville e Jaraguá, que serão transformadas nas chamadas Aldeias Palco Giratório.

Além de proporcionar a vinda de companhias de outros estados para Santa Catarina, o projeto também possibilita a circulação de grupos e artistas locais pelas cidades.

– As peças nacionais foram selecionadas por uma curadoria, enquanto o Sesc local escolheu outras atrações para agregar à programação. Neste ano, resolvemos convidar grupos que trouxessem seus repertórios para o Palco Giratório – diz o coordenador de cultura do Sesc Joinville, Cássio Correa.

As montagens apresentadas no Palco Giratório foram escolhidas por uma curadoria nacional e buscam sintetizar a multiplicidade de sotaques e estéticas presentes na cena contemporânea brasileira. Em paralelo às apresentações de teatro, dança, circo e música, a programação inclui oficinas e debates, enfocando o fazer cênico nas suas mais variadas linguagens e formas de expressão.

Debate e aprendizagem serão contemplados

Entre estas companhias, estão a Cia. Carona de Teatro, de Blumenau; a Cia Experimentus, de Itajaí, e o Cirquinho do Revirado, de Criciúma, além de grupos de Porto Alegre e Araraquara (SP). Estas companhias também vão às cidades para oferecer oficinas para atores e não atores. Com exercícios e jogos, eles passarão aos alunos as noções de teatro de bonecos, de sombras e clowns, além de improvisação e técnicas de maquiagem para o teatro.

As oficinas não limitarão os participantes a partir da idade, mas Cássio avisa que elas são indicadas principalmente para jovens e adultos, mesmo que estes não tenham experiência dentro das artes cênicas. Cada oficina tem cerca de 20 vagas, preenchidas por ordem de chegada nas inscrições, que custam R$ 10 e devem ser feitas na Central de Atendimento do Sesc de cada cidade participante.

Além da Capital, a programação cultural se intensifica nas chamadas “aldeias” instaladas em Joinville e Jaraguá do Sul. A proposta é envolver os membros de uma comunidade, estimulando o desenvolvimento de núcleos produtores e consumidores visando formar pequenos mercados. Atualmente, há 41 aldeias no país que funcionam em rede, integradas e conectadas pelo Palco Giratório.

Em Santa Catarina, neste ano, foram realizados os festivais Aldeias Palco Giratório em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Lages, Rio do Sul e Tubarão. O evento engloba shows dos projetos Sonora Brasil e Circuito Catarinense de Música, do Sesc, e três espetáculos da Mostra Universitária da Udesc.

(DC, 25/08/2011)
O encerramento do Festival Palco Giratório em Florianópolis será dia 30 de setembro, com o espetáculo Cortejo Abre Alas, do Lume Teatro, de Campinas (SP). A encenação será resultado da oficina de Montagem a realizada de 25 a 29 de setembro (são 70 vagas e as inscrições podem ser feitas no Sesc da Prainha).

Os ingressos para todos os espetáculos do Festival Palco Giratório SC são gratuitos e serão distribuídos uma hora antes de cada sessão, nos locais das apresentações.

Confira a programação completa das três cidades no site www.palcogiratoriosc.com.br.

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *