Pontos de ônibus sem recuo tornam perigoso trafegar na Beira-Mar Norte
05/07/2011
Berbigão e pinhão estão na lista de alimentos em risco de extinção, segundo Ong internacional
05/07/2011

Em fase de estudos, veículo do sistema Via Rápida circula por terminais e ruas de Florianópolis

Enquanto a implantação do sistema BRT (da sigla em inglês Trânsito Rápido de Ônibus) em Florianópolis não sai do papel, o ônibus do projeto Via Rápida circula vazio pela cidade apenas para demonstração. Desde sexta-feira, o veículo testa as vias e terminais da Capital.

Como o ônibus não tem autorização para circular com passageiros, só foi possível entrar para conhecer a estrutura interna. Em quatro dias de testes, o secretário de Transportes, João Batista Nunes, garante que não haverá problemas para circular pela cidade.

Ele pretende apresentar o projeto nas empresas de transporte coletivo que atuam na Grande Florianópolis e negociar a troca dos ônibus atuais pelo modelo BRT, antes mesmo da implantação do sistema. O ônibus circularia nas mesmas vias que os outros veículos, sem os corredores exclusivos. A vantagem de implantar já o modelo, seria a agilidade para entrar e sair do veículo, que não tem catraca, defende o secretário:

– A cobrança é feita na saída do passageiro e o ganho no tempo de transporte é de 15 minutos.

No projeto original, o BRT seria implantado em três linhas que partiriam do Centro para o Continente, UFSC e Aeroporto Hercílio Luz. No entanto, o estudo de viabilidade econômica e ambiental do sistema da Via Rápida será feito em apenas um: Centro-UFSC. O edital para contratação da empresa que fará o projeto de engenharia deve ser lançado em 60 dias. O projeto vai apontar as alterações necessárias para a circulação dos ônibus, como adaptação de semáforos, entrada e saída dos terminais e das paradas e ônibus.

– Nesse projeto não nos cabe mais errar, por isso não há pressa. Nossa perspectiva é implantá-lo em 2012 – afirma Nunes.

Novidade despertou a curiosidade ontem

A demonstração do BRT, ontem, no Terminal de Canasvieiras, despertou curiosidade. Neuri Rocha de Lima, de nove anos, foi atraído pelo espaço para bicicletas:

– Nos outros ônibus não dá para levar esse tipo de coisa.

A mãe dele, Isaura Vieira da Rocha Lima, aprovou os assentos “mais confortáveis” e espera que os veículos estejam disponíveis em breve.

Mas, pelo menos nos próximos dois anos, o BRT vai continuar apenas no imaginário de quem anda de ônibus em Florianópolis.

(Por Edinara Kley, DC, 05/07/2011)

Depende de muitas adaptações

O representante da Neo Bus, empresa responsável pela demonstração do ônibus articulado em Florianópolis, Rodrigo Bittencourt, destaca que o BRT é projetado para circular em pistas exclusivas, o que não existe ainda na cidade. Ele confirma a possibilidade de colocá-lo em operação na mesma rota de outros veículos, mas adverte que isso implicaria em fazer adaptações no veículo e nos locais onde estacionaria.

Seria preciso, por exemplo, ajustar as portas do ônibus, projetadas para descida de passageiros dos dois lados. Na Capital, a entrada e a saída são feitas apenas pelo lado direito.

O BRT também é mais alto que os ônibus comuns, sendo necessário adaptar os degraus do ônibus, ou elevar o piso do local onde estaciona, para facilitar o acesso de passageiros.

O veículo apresentado tem capacidade para transportar 150 passageiros, 96 sentados. Há local para cadeirantes e para bicicletas.

O custo da implantação do sistema ainda não foi estimado pela prefeitura. A busca de recursos para sua execução deve acontecer depois da publicação do edital de licitação para a obra da primeira linha do BRT, de acordo com o secretário de Transportes João Batista Nunes.

(DC, 05/07/2011)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *