Homero é o novo secretário de Turismo
17/11/2010
Decisão sobre Estaleiro OSX pode afetar projetos do Grupo EBX em Florianópolis
17/11/2010

Governador de SC e representantes de entidades se manifestam sobre estaleiro da OSX

Bilionário Eike Batista desistiu de instalar o projeto no Estado

O Estaleiro OSX não será instalado em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O empresário Eike Batista desistiu do projeto no Estado e definiu que a sede será o Rio de Janeiro. O anúncio feito nesta terça-feira teve repercussão no governo estadual e nas entidades industriais e ambientais de Santa Catarina.

Pego de surpresa com a decisão, o presidente em exercício da Fundação do Meio Ambiente, Luiz Antônio Garcia Corrêa, diz que o processo de licenciamento ambiental no Estado está em curso e que, para paralisá-lo, a empresa terá que se manifestar oficialmente.

O prefeito de Biguaçu, José Castelo Deschamps, prefere não falar até a reunião que tem nesta quarta-feira, às 13h, com a empresa, quando deverá ser comunicado da desistência.

O governador de Santa Catarina, Leonel Pavan, diz que todos os esforços foram feitos para que o estaleiro ficasse em Santa Catarina:

— O governo estadual fez todos os esforços para assegurar o empreendimento na expectativa de gerar novos empregos e renda e de forma conciliar desenvolvimento econômico com a preservação do meio ambiente. Destaco a mobilização de todos os setores do governo, de forma suprapartidária.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Alcantaro Corrêa, comenta a questão econômica:

— Santa Catarina perde a oportunidade de entrar com força em um dos segmentos com maior potencial de crescimento nos próximos anos no Brasil. O estaleiro seria um impulsionador para o desenvolvimento da indústria catarinense, integrando diversas cadeias produtivas.

O Diretor do Instituto Sea Shepherd, Hugo Malagoli, comemora a decisão:

— Apesar de toda pressão política que houve sobre esse projeto da OSX, sabemos do prejuízo social e ambiental que essa obra provocaria, depois de dois pareceres negativos do ICMBio. Estou eufórico! A vida marinha venceu mais esta batalha.

Para o advogado da ONG Montanha Viva, Eduardo Bastos Lima, o local não era adequado:

— Nossa posição sempre foi não perder o empreendimento no Estado, mas foram feitos questionamentos sobre a localização e a condução do licenciamento. Não somos contra o empreendedor ou o empreendimento, mas sim ao local. Poderia afetar tanto os golfinhos, como a pesca artesanal ou a maricultura.

O Grupo EBX anunciou que estuda outros empreendimentos para a propriedade em Biguaçu. O megaterreno já comprado poderá receber algum investimento do grupo. Como Eike sempre disse que não instala empresas onde não se considera bem-vindo, o que vem por aí não deverá chegar perto do que viria.

(ClicRBS, 17/11/2010)

Pressões ambientais afastam OSX
Da coluna Informe Econômico, por Estela Benetti (DC, 17/11/2010)

A decisão da OSX, empresa naval do grupo EBX, de Eike Batista, de instalar o estaleiro no Porto de Açu, no Rio de Janeiro, leva embora o sonho do maior projeto privado já previsto para o Estado, com possibilidades de milhares de empregos, formação técnica e incentivo a novas tecnologias. Diante do medo de instalar o empreendimento em local que poderia gerar ações judiciais ambientais e cancelamentos, e a oportunidade de mais incentivos no Rio de Janeiro, em área com menor risco ambiental e condições de ampliação do projeto nas próximas décadas, a escolha do grupo foi pelo Estado do Sudeste. A questão ambiental foi decisiva para a definição do local do projeto, segundo fonte da empresa. Se fosse parar na Justiça, poderia implicar em meses de atraso, e os investidores, a maioria do exterior, têm pressa.

A escolha inicial de Eike Batista por Santa Catarina foi em função da baía fechada, terreno com a densidade necessária e a qualidade da mão de obra. A propósito, este deverá ser o maior obstáculo para o empreendimento no Rio, porque os trabalhadores catarinenses têm tradição no setor metalmecânico e naval. Tudo indica que a OSX deverá recorrer ao Estado para atrair profissionais, a exemplo do estaleiro Atlântico Sul, do Nordeste, que contratou tanto chefes quanto operários de indústrias navais de Itajaí e trouxe equipes do Japão.

LISTA | IMPRIMIR | ENVIAR | LETRA A – | A + 17 de novembro de 2010 | N° 8993INFORME ECONÔMICO | ESTELA BENETTI
Pressões ambientais afastam OSX

A decisão da OSX, empresa naval do grupo EBX, de Eike Batista, de instalar o estaleiro no Porto de Açu, no Rio de Janeiro, leva embora o sonho do maior projeto privado já previsto para o Estado, com possibilidades de milhares de empregos, formação técnica e incentivo a novas tecnologias. Diante do medo de instalar o empreendimento em local que poderia gerar ações judiciais ambientais e cancelamentos, e a oportunidade de mais incentivos no Rio de Janeiro, em área com menor risco ambiental e condições de ampliação do projeto nas próximas décadas, a escolha do grupo foi pelo Estado do Sudeste. A questão ambiental foi decisiva para a definição do local do projeto, segundo fonte da empresa. Se fosse parar na Justiça, poderia implicar em meses de atraso, e os investidores, a maioria do exterior, têm pressa.

A escolha inicial de Eike Batista por Santa Catarina foi em função da baía fechada, terreno com a densidade necessária e a qualidade da mão de obra. A propósito, este deverá ser o maior obstáculo para o empreendimento no Rio, porque os trabalhadores catarinenses têm tradição no setor metalmecânico e naval. Tudo indica que a OSX deverá recorrer ao Estado para atrair profissionais, a exemplo do estaleiro Atlântico Sul, do Nordeste, que contratou tanto chefes quanto operários de indústrias navais de Itajaí e trouxe equipes do Japão.

Modelo de SC em campanha da Aramis

A grife paulista Aramis, presente em endereços sofisticados do Brasil, como a Oscar Freire, shoppings Iguatemi e Morumbi de São Paulo, contratou o modelo de Joinville André Ziehe para a campanha da nova coleção verão 2011. Um dos novos nomes das principais passarelas mundiais, André mostra looks da marca sobre um iate, em ambiente marinho. A marca, que ainda não tem loja exclusiva em Santa Catarina, contratou uma equipe de peso para a campanha, que foi fotografada por Cristiano Madureira.

Aproximação

Um dos motivos pelos quais Eike Batista escolheu, inicialmente, Biguaçu para o projeto foi a aproximação do seu pai, Eliezer Batista, com o ex-governador Luiz Henrique. Na foto acima, Eike (E) anunciou, em Nova York, no ano passado, a criação do Instituto de Tecnologia Naval a Luiz Henrique. Depois disso, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, se aproximou muito do bilionário e aproveitou para fazer lobby para que o estaleiro fosse para o seu estado. Uma das informações de bastidores, quando surgiu a possibilidade de transferir o projeto ao Rio, foi de que o bilionário poderia instalar um estaleiro menor em SC. Ontem, o grupo acenou com um projeto novo para Biguaçu, sem definir qual.

Vínculos em Santa Catarina

Apesar da decisão de não instalar o projeto em SC, nesse período de negociações houve aproximação de várias instituções catarinenses com o grupo EBX, de Eike Batista. A mais intensa é com a Fundação Certi, que ajuda na elaboração do Instituto Técnico Naval e identificou especialista em golfinhos que propôs solução para a preservação dos animais em SC.

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

1 Comentário

  1. Mário disse:

    Perdemos mais esta, em virtude de uma minoria vamos ficar sem o tão sonhado estaleiro, este que iria dar uma grande alavancada na economia do estado.Agora me pergunto será que a ICMBIO não tem pessoal qualificado para analisar os progetos da OSX? Eles ja estão a mais de um ano para decidir, e ainda querem mais tempo, queria saber qual é a formação destes técnicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *