Segurança em foco
26/08/2010
A natureza ameaçada
26/08/2010

Operação para reduzir filas ainda tem falhas

Equipes da Guarda Municipal chegam a alguns pontos da Capital com atraso ou nem aparecem.

A Operação Fim de Tarde, criada pela Guarda Municipal de Florianópolis (GMF) para evitar que motoristas “furões” usem atalhos e provoquem mais congestionamentos no horário de pico, apresenta falhas. A equipe do Diário Catarinense foi aos locais que são monitorados e verificou que as equipes chegam atrasadas. E o mais grave: durante quase uma hora, ninguém esteve em dois dos quatro pontos fiscalizados.

Na Avenida Gustavo Richard, sentido Ponte Governador Colombo Salles, e na Rua Pedro Bittencourt, até as 18h, nem sinal das equipes, que deveriam estar ali desde as 17h15min. Somente a Rua Antônio Pereira Oliveira Neto e o cruzamento da Gustavo Richard com a Avenida Hercílio Luz estavam sendo fiscalizados. Mesmo assim, os guardas chegaram aos locais quase meia hora atrasados. O trânsito só passou a fluir quando os cones de orientação foram colocados.

A falta de fiscalização foi denunciada via e-mail por um leitor do Diário Catarinense. A reportagem circulou pelos pontos da operação entre 17h e 18h de terça-feira. Segundo o diretor da Guarda Municipal, Ivan da Silva Couto Júnior, serão tomadas medidas para evitar que atrasos deste tipo se repitam. Em relação à ausência de pessoal, ele disse que os guardas municipais atendem a outras ocorrências e, provavelmente, por causa disso, não estavam nos locais.

Na Operação Bom Dia – que fecha ruas e desliga semáforos no Centro para priorizar o fluxo de veículos que entra na Ilha – não foram encontradas irregularidades ontem. Quatro profissionais orientavam o trânsito na rótula do Terminal Rita Maria, que fluía normalmente.

Para o comerciante Adão Borges Leite, 45 anos, a iniciativa não trouxe bons resultados. Morador de Barreiros, ele atravessa a ponte diariamente em direção ao Centro. Aos sábados, leva 10 minutos, mas de segunda a sexta-feira, faz em uma hora:

– Tenho que ficar matando tempo no trabalho para sair só depois das sete da noite. Esses guardas só atrapalham mais ainda o trânsito.

Já o médico Marcelo Mesquita Moreira, 40 anos, aprova a iniciativa. Para ir de sua casa, no Campeche, até o Centro, onde trabalha, economiza agora, no mínimo, 15 minutos.

– Com a operação, levo 30 minutous. Às vezes até 25, quando pego a pista liberada da Via Expressa Sul.

Esta reportagem foi sugerida por um leitor que não quis ser identificado. Envie sua sugestão para o e-mail leitor@diario.com.br

(Por MELISSA BULEGON, DC, 26/08/2010)

Mudança no Sul da Ilha funcionou

Desde abril, os motoristas que moram no Sul da Ilha e precisam ir para o Centro no início da manhã encontram um trânsito menos congestionado. Tudo graças à operação sentido único da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), criada para facilitar o deslocamento na Rodovia SC-405.

Entre 7h13min e 7h33min, o tráfego é liberado nas duas faixas para quem vem do Sul da Ilha em direção à área central da Capital. Segundo o subtenente da PMRv, Jairo Gonçalves Cabral, a iniciativa reduziu bastante o congestionamento na região.

– No início, houve reclamações de quem ficou trancado no sentido contrário. Mas, agora, o pessoal já vê a importância da medida e se programou para evitar isso – explica.

A liberação começa no Trevo do Campeche e vai até o Trevo da Seta e atinge 3,8 quilômetros do trajeto. Com a interdição, quem segue para o Aeroporto Internacional Hercílio Luz deve se manter na faixa da direita.

Assim que a construção do elevado do Trevo da Seta estiver concluída, a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) quer aplicar a mesma operação para quem se desloca do Centro para o Sul da Ilha no fim da tarde. Será realizado um estudo para definir quais os melhores horários.

Cerca de 90% das obras estão prontas. Caso não haja paralisações, a previsão da Secretaria de Obras da Capital é entregar a estrutura até 31 de setembro. O projeto é apontado como uma das principais soluções para o engarrafamento na Via Expressa Sul. A estrutura terá 145 metros de extensão e 18,6 metros de largura.

Quanto ao contorno do elevado, o secretário de Obras, Luiz Américo Medeiros, disse que 60% dos trabalhos estão feitos. As desapropriações se encontram em fase final de negociação e algumas já foram pagas. Apenas três proprietários ainda permanecem no trecho e devem sair até o próximo dia 15. A previsão é de que a obra seja finalizada na primeira quinzena de dezembro.

Trevo da Seta deve ser entregue em setembro

Já a ampliação da terceira pista da SC-405 está parada e não há previsão exata de retomada, segundo a assessoria de imprensa do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra). O impasse envolve cerca de 50 casas que precisam ser desapropriadas no trecho. Há falta de documentação ou desacordo de valores. A previsão é retomar os trabalhos até o final do ano.

(DC, 26/08/2010)

Regra que custa a pegar

A faixa branca pintada no chão, que estabelece o tráfego de ônibus nas pontes da Capital existe, mas nem todos a respeitam.

No sentido Centro-Continente, a sinalização começa na saída do Terminal do Centro (Ticen) e segue pela pista da direita na Ponte Colombo Salles. Na direção inversa, a linha inicia sobre a Ponte Pedro Ivo Campos e termina na Avenida Gustavo Richard, na entrada para o Ticen.

Onde a faixa é contínua, a passagem é exclusiva para coletivos. A pontilhada é de transição e permite o tráfego de outros veículos, mas a preferência é dos ônibus.

O diretor da Guarda Municipal da Capital, Ivan da Silva Couto Júnior, diz que o controle da norma é de difícil fiscalização, mas o motorista que for flagrado desrespeitando a determinação comete infração grave.

A punição gera cinco pontos na carteira de habilitação do motorista e multa no valor de R$ 127.

(DC, 26/08/2010)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *