Prêmio Franklin Cascaes de Cultura recebe indicação popular
05/07/2010
Curso de Capacitação de Turismo Sustentável de Base Comunitária
05/07/2010

Ministério da Ciência e Tecnologia aprova R$ 8,9 milhões para laboratórios e equipamentos de pesquisa na UFSC

A UFSC obteve 8,9 milhões no último edital do CT-Infra, Fundo de Infraestrutura do Ministério da Ciência e Tecnologia. Os recursos são direcionados a viabilizar compra de equipamentos, implantação, ampliação e modernização de laboratórios de pesquisa em instituições públicas de ensino superior.

Entre 10 subprojetos encaminhados pela UFSC à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), agência do MCT, oito foram aprovados. Os recursos permitirão a implantação do Instituto do Mar e Biodiversidade, do Centro de Pesquisa em Energias Renováveis e Práticas Sustentáveis e do Instituto de Pesquisa em Saúde e Medicina Translacional, entre outros núcleos de grande porte direcionados ao desenvolvimento científico e tecnológico (veja relação de projetos aprovados abaixo).

Para pleitear recursos do CT-Infra, a UFSC parte das necessidades e prioridades especificadas em um plano estratégico pensado por uma comissão para que a Universidade amplie seu perfil de excelência na produção de ciência e tecnologia. Em um segundo momento, um outro grupo é formado por professores dos 11 centros de ensino da UFSC e coordenado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão, para elaboração do projeto institucional que é encaminhado ao Ministério de Ciência e Tecnologia.

“O CT-Infra é uma das principais fontes de recursos para infraestrutura da pesquisa de grande porte no país. Esperamos que essa linha de financiamento se mantenha com a regularidade que tem apresentado”, destaca o diretor do Departamento de Projetos de Pesquisa, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão da UFSC, professor Jorge Mário Campagnolo.

Foi a partir de recursos do CT-Infra, por exemplo, que a UFSC montou seu Laboratório Central de Microscopia Eletrônica (LCME). Inaugurado em 2007, o setor reúne cinco supermicroscópios que permitem a observação de estruturas na escala do nanômetro – o bilionésimo de metro (ou um milímetro dividido um milhão de vezes). O projeto de quase R$ 5 milhões foi financiado pela Finep, por meio do CT-Infra (R$ 4,6 milhões) e contou também com recursos da própria universidade (R$ 400 mil).

“Os recursos do CT-Infra mudaram o perfil da produção científica na UFSC”, complementa o professor Campagnolo, lembrando que boa parte dos projetos é elaborada priorizando a visão de compra de equipamento e implantação de laboratórios multiusuários, que permitem o uso por diferentes equipes e integram pesquisadores de diferentes áreas.

Saiba Mais:
Subprojetos aprovados na Chamada Pública MCT/Finep/ Proinfra / 01-2009

– Sistema Integrado de Biotecnologia / Fase 2 / R$ 1.467.293,00
– Criação do Instituto de Pesquisa em Saúde e Medicina Translacional / R$ 885.271,00
– Complementação e Manutenção do Laboratório Central de Microscopia Eletrônica / R$ 1.028.642,00
– Centro de Pesquisa e Documentação da Universidade Federal de Santa Catarina / R$ 959.895,00
– Centro de Pesquisa Multiusuário em Exercício Físico, Saúde e Desempenho Esportivo / R$ 486.624,00
– Implantação do Centro de Pesquisa em Energias Renováveis e Práticas Sustentáveis / R$ 971.760,00
– Infraestrutura Multiusuária de Caracterização de Nanoestruturas/ R$ 1.787.964,00
– Instituto do Mar e Biodiversidade da Universidade Federal de Santa Catarina / R$ 1.021.419,00

Mais informações:
Professor Jorge Mário Campagnolo / Diretor de Projetos de Pesquisa
Fone: 3721-9437
E-mail: campagnolo@reitoria.ufsc.br

(Por Arley Reis, Agecom/UFSC, 30/06/2010)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *