A energia que vem do lixo
02/06/2008
A era do transporte flexível
02/06/2008

‘Cidades solares’ já planejam utilização inteligente de energia

A geração de energia com o menor impacto aos recursos naturais é um item que avança em projetos arquitetônicos e políticas públicas. O município de São Carlos é um dos exemplos da mobilização para se transformar em uma “cidade solar”. Isso significa utilizar com inteligência e criatividade o espantoso potencial presente em todo o País simplesmente incentivando projetos arquitetônicos que englobem aquecedores solares.
Em Bauru, 32 imóveis situados na Vila Nova Paulista desfrutam das vantagens do coletor solar para aquecimento de água. Desde 2002, as casas entregues no Residencial Primavera dispõem do equipamento e os moradores sentem os efeitos positivos na queda do gasto com as contas de água.
Uma empresa concessionária de energia elétrica de São Paulo fechou acordo com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) para instalação de aquecedores solares em 1.600 apartamentos no município de Mogi das Cruzes.
A proposta de cidades solares não é um modismo de ambientalistas politicamente corretos, e sim uma necessidade para acabar com a degradação do meio ambiente. Com a crescente demanda por energia, surge um esforço para aumentar a energia gerada por fontes renováveis, sustentáveis e descentralizadas. Os resultados são as reduções das emissões de carbono (CO2) e de poluentes locais geradas por edificações. Também implica na minimização da dependência das cidades por fontes de energia externas.

Seminário

A implantação desse modelo será discutida em São Carlos, amanhã (02/06), durante o 1º Seminário Cidades Solares São Carlos. Na terça-feira, haverá um curso profissionalizante. Os participantes vão tratar de políticas públicas que incentivem o uso de aquecedores solares nas edificações. Com mais de 220 mil habitantes, São Carlos tem grande potencial de utilização dos raios solares, principalmente para o aquecimento de água para fornecimento a residências, hotéis, hospitais e para o desenvolvimento do parque industrial.
De acordo com Carlos Faria, coordenador da iniciativa Cidades Solares e diretor executivo da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), seriam necessários instalar cerca de 250 mil metros quadrados de coletores solares somente no setor residencial de São Carlos. Ele projeta que a medida geraria 9 mil empregos diretos e indiretos, além do benefício de economia para os moradores.
Também representaria o não-alagamento de 14 milhões de metros quadrados de área fértil utilizadas para geração de energia elétrica, e evitaria a emissão na atmosfera do planeta de 12 mil toneladas de CO2 por ano. Também diminuiria a pressão por investimentos em geração, transmissão e distribuição de energia.
A realização do seminário é uma iniciativa da Câmara Municipal de São Carlos, que apresentará o projeto de lei sobre o uso de aquecimento solar, e do Departamento de Energia Solar da Abrava, que coordena o projeto Cidades Solares, em parceria com o Instituto Vitae Civillis.
Benefícios
Délcio Rodrigues, um dos coordenadores da iniciativa, explica que o seminário foca os benefícios sociais, econômicos e ambientais da tecnologia solar térmica, além de fortalecer e fomentar a implantação de uma política pública eficaz para a disseminação do uso inteligente de recursos naturais renováveis.
Na terça-feira, será promovido o curso de capacitação de projetistas de sistemas em aquecimento solar, que conta com o apoio da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de São Carlos (AEASC). O curso terá duração de oito horas e visa introduzir os principais conceitos da tecnologia solar e como fazer um projeto obedecendo à nova norma da ABNT – NBR 15569.
Faria lembra que o potencial de utilização da energia solar térmica nos setores comercial e industrial multiplicaria por várias vezes os benefícios obtidos. “Com a tecnologia atual dos aquecedores solares, qualquer demanda de água a temperaturas de até 120 graus pode ser satisfeita pela energia solar”, comenta.
Serviço
O seminário Cidades Solares São Carlos será amanhã (02/06), na Câmara Municipal de São Carlos, localizada na rua Sete de Setembro, 2.078, no Centro, a partir das 8h. As inscrições e o acesso à programação completa para o seminário e o curso de capacitação podem ser feitas pelo site www.cidadessolares.org.br. As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas. O curso de capacitação de projetistas de sistemas de aquecimento solar será na terça-feira, na Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de São Carlos (AEASC). A entidade fica na rua Sorbone, 400, Centerville, São Carlos.
(Ricardo Santana, JCNET, 01/06/08)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *