MMA participará de encontro global sobre oceanos
03/04/2008
Site inédito mostra pontos de coleta seletiva e reciclagem de embalagens longa vida
03/04/2008

Executivos trazidos pelo Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável – CEBDS para participar do Fórum de Eficiência Energética em Edificações – que será realizado no Rio de Janeiro, no dia 3 – estiveram na sede da Editora Abril, nesta terça-feira, 1º de abril. O objetivo era apresentar o relatório de Eficiência Energética em Construções, desenvolvido pelo
Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD, na sigla em inglês) e co-produzido pela Lafarge e pela United Technologies Corporation.
A equipe composta por Christian Kornevall, diretor internacional do projeto Energy Efficiency in Buildings – EEB; Constant van Aerschot, diretor de perspectivas em construções da Lafarge; William M. Sisson, diretor de sustentabilidade da United Technologies Corporation; Harry Verhaar, diretor sênior de energia e mudança climática da Philips; Rui Campos, diretor M&E da Sonae Sierra e Maria Cláudia Ramirez, gerente de aplicação de cimento da CEMEX, se reuniu com Matthew Shirts, redator chefe da versão brasileira da revista National Geographic e curador do Planeta Sustentável, Ana Luiza Herzog, editora da revista Exame e Lucila Vilaça, editora da revista Casa Cláudia.
Os dados que motivaram a realização do relatório são preocupantes:
– os edifícios são responsáveis por 40% do consumo de energia no mundo – sendo 33% no setor comercial e 67% no residencial;
– até 2025 deve haver um crescimento de 45% nesse consumo;
– as construções emitem 35% do carbono lançado na atmosfera;
– e deve haver um aumento de 92% nessas emissões até 2050 se nada for feito.
Diante da observação de que o número de construções aumenta cada vez mais, a tentativa do relatório é reunir dados e soluções práticas para mudar essa realidade. A frase marcante do encontro foi: “Precisamos fazer alguma coisa”.
O RELATÓRIO
Organizada por dez companhias, nos seis países responsáveis pela procura de dois terços da energia do mundo – Brasil, China, Europa, Índia, Japão e Estados Unidos -, a pesquisa abrangeu mais de 100 bilhões de metros quadrados de espaço construído. A partir disso, no final do ano passado, foi criado o primeiro banco de dados sobre eficiência energética, com dados antes jamais coletados.
Uma das conclusões a partir da análise dos dados é a de que é possível reduzir imediatamente o consumo de energia e a emissão de carbono nas construções, com as tecnologias já disponíveis no mercado.
Por isso, o próximo passo será estudar os edifícios com gasto líquido de energia equivalente a zero, verificar sua viabilidade econômica e aprender com eles. Com essas informações, a última etapa do projeto – que deve ser concluída em meados do ano que vem – será propor soluções aos novos edifícios e também aos já existentes para que se tornem mais sustentáveis e se aproximem, ao máximo, desse gasto zero de energia.
A intenção é que as propostas sejam colocadas em prática também por outros países e que, nas próximas duas décadas, tenhamos significativas mudanças na forma de pensar e construir edifícios – o que muito contribuirá para o controle do aquecimento global.
Um dos pontos que os executivos fizeram questão de frisar é que não há imposição de soluções “de cima para baixo”. Durante a pesquisa, as percepções de todos os envolvidos na construção de edifícios sustentáveis são levadas em consideração – inclusive por meio da organização de conferências, workshops e fóruns para discutir o assunto.
E existe uma grande preocupação em conhecer de perto a realidade de cada país onde os dados são coletados, até porque existem muitas diferenças entre os países, em questões físicas, culturais, políticas e de mercado. Além disso, cada setor da economia – escritórios, hospitais, comércio, residencial, etc. – terá um tratamento específico, por ter diferentes demandas em termos energéticos.
ALGUNS DADOS DO RELATÓRIO
– os melhores índices de eficiência de energia foram encontrados no Japão e os piores, nos EUA;
– a cada ano, a China aumenta sua área construída em 2 bilhões de metros quadrados – o que significa que, a cada três anos, o país constrói o equivalente à área de edifícios do Japão;
– o Brasil constrói 6 milhões de metros quadrados por ano e é o país em desenvolvimento mais urbanizado do mundo;
– mais de 80% do consumo energético de um edifício alimenta a parte operacional – eletricidade, condicionamento de ar, ventilação, aquecimento etc.
– normalmente, os profissionais da construção imaginam que os edifícios sustentáveis contribuirão muito menos para o controle das mudanças climáticas e que os custos dos mesmos serão bem maiores do que realmente são. Nos países desenvolvidos, o aumento nos custos não ultrapassa 5 %, sendo um pouco maiores em países em desenvolvimento;
– o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas – IPCC (sigla em inglês) estima um potencial de redução em 29% na emissão de carbono até 2020, sem aumento nos custos.
Os elementos-chave para a construção de edifícios com gasto zero de energia são:
– utilização equipamentos energéticos mais eficientes;
– produção de energia no próprio local, com utilização de fontes renováveis;
– criação de edifícios que produzam mais energia do que gastem, formando uma rede inteligente capaz de alimentar outros edifícios que não possuam a mesma eficiência.
FÓRUM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES
A construção desses edifícios sustentáveis é exatamente o tema central do Fórum de Eficiência Energética em Edificações, que será realizado no dia 3 de abril, no Rio de Janeiro, e vai reunir responsáveis por políticas públicas, instituições financeiras, empresas de construção civil e especialistas nacionais e internacionais.
O objetivo do evento é propor mudanças radicais no conceito das edificações – indo da fase de construção até a utilização dos imóveis – e pensar meios para tornar essas soluções cada vez mais viáveis economicamente.
No Brasil, onde os níveis de urbanização já são altos, se comparados aos de outros países em desenvolvimento e continuam crescendo, a discussão se torna cada vez mais urgente.
Baixe o relatório completo em português aqui.
Veja mais informações sobre o Fórum de Eficiência Energética em Edificações na Agenda do Planeta Sustentável.
Contatos com o CEBDS
www.cebds.org
email: cebds@cebds.org
fone: (21) 2483 2250
(Por Thays Prado, Planeta Sustentável, 02/04/08)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *