Comércio tenta evitar interdições na Lagoa
04/10/2007
Favelão visual
04/10/2007

Verba para esgoto está a caminho

Instalada em 2001, a rede coletora de esgoto da Costa da Lagoa, no Leste da Ilha, deve finalmente entrar em funcionamento com a ligação à Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) da Barra da Lagoa, projetada pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan).

A empresa aguarda a chegada do primeiro repasse de verbas da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para começar os trabalhos. O custo total da obra é de aproximadamente R$ 600 mil. “Já havia as ligações, mas a rede estava inoperante. O projeto está concluído e só aguardamos um documento oficial para começar a trabalhar”, diz o gerente de Construção da Casan, Fábio Krieger.

A rede de esgoto da Costa da Lagoa está projetada para atender a 213 residências e estabelecimentos, numa população estimada entre 800 e mil pessoas, segundo Krieger.

A ligação à ETE da Barra da Lagoa, que fica no Parque Estadual do Rio Vermelho, vai ser feita por meio da construção de uma estação elevatória e de um emissário (cano submerso) de 1,2 mil metros de extensão que vai passar por dentro da Lagoa da Conceição. Somando a parte terrestre, a tubulação terá 1,8 mil metros.

O presidente da Associação de Moradores da Costa da Lagoa (Amocosta), Valdir Miguel de Andrade, conta que a comunidade espera com ansiedade pelo início das obras. Segundo ele, há cerca de 1,8 mil moradores na região compreendida entre o Canto dos Araçás, ao Sul, e o morro do Saquinho, ao Norte (cerca de 6km de extensão na margem Oeste da Lagoa da Conceição).

(A Notícia, 04/10/2007)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *