Futuro de vereadores sai até dia 6
28/06/2007
Câmara não vê irregularidades em seis projetos
29/06/2007

Lideranças do Democratas (DEM) de Santa Catarina protocolaram ontem na Justiça duas ações contra o aumento abusivo das taxas que a União está cobrando dos proprietários de terrenos de Marinha.

Atese dos democratas é a de que o imposto resultará no confisco dos imóveis, uma vez que boa parcela da população não terá como pagar a taxa.

Em alguns casos o aumento em relação ao ano passado chega a 1.300%. Na ação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o DEM questiona a cobrança destas taxas em ilhas que são sede de municípios, como Florianópolis e São Francisco do Sul.

No processo protocolado na Justiça Federal, o DEM pede a imediata suspensão da cobrança.

– ós vamos mostrar que os altíssimos reajustes nas taxas de terrenos de marinha têm caráter de confisco – disse o deputado federal Paulo Bornhausen (DEM-SC) , que assinou a ação como vice-presidente nacional do Democratas.

Também assinaram as ações o senador catarinense Raimundo Colombo e o deputado estadual César Souza Júnior.

O trio garante que, logo que seja definido o relator do caso no STF e na Justiça Federal, agendará uma audiência para pedir agilidade no julgamento da ação.

Projeto de lei prevê alteração nas regras

Bornhausen prepara ainda um Projeto de Lei e uma Emenda Constitucional para alterar as regras sobre a cobrança das taxas nas terras de marinha.

O democrata deve enviar as duas matérias à Câmara no início da próxima semana.

(DC, 28/06/2007)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *