Prestes a tombar
05/03/2007
Empresas recuperam praças da Capital
05/03/2007

Da coluna de Cacau Menezes (05/03/2007).

Imagine, leitor, se a Ilha tivesse sido planejada para o turismo desde o começo do século 20? O governador Hercílio Luz, por exemplo, queria construir uma rodovia contornando a Ilha, mas foi vencido pelos ecochatos que já existiam, e que não eram carijós. No final da segunda década, a Ponte Hercílio Luz foi planejada sem se pensar na possibilidade de sob ela navegarem grandes embarcações. Nas décadas de 1970 e 1980, mais duas pontes foram construídas com a mesma visão limitada, reduzindo os vãos e impedindo, ainda mais, a passagem de navios. As praias, ao longo dos últimos 50 anos, foram ocupadas aleatoriamente e não faltaram os atrevidos que construíram suas casas bem perto do mar, para fugir, quem sabe, da areia quente.

Sem falar da agressão ao meio ambiente, que é diária, na cara do rei.

Mas, se o ilhéu nativo chora e lembra dos bons tempos, os turistas e os neoilhéus vibram com esta terra, simplesmente porque nas outras capitais a qualidade de vida se degradou bem mais.

Radical

No último sábado, funcionários da Fatma, junto com a Polícia Ambiental, fecharam todas as marinas do Norte da Ilha, e ainda aplicaram uma multa de R$ 5 mil para cada estabelecimento que não tinha a licença ambiental.

O Iate Clube Veleiros da Ilha, que só ajuda a cidade, está na Justiça por causa da dita licença.

Já proibiram a marina, o Carnaval depois das 2 da manhã, e agora, com o sol a 33ºC, impediram, neste final de semana maravilhoso, os lancheiros de passear!

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *