Famílias convivem com sujeira e abandono nas vielas da favela do Siri
31/01/2007
Coleta seletiva é aprovada no 1º dia de testes
01/02/2007

Salário no setor de turismo é baixo

Santa Catarina atrai turistas dispostos a gastar bem nas férias de Verão e também trabalhadores em busca de renda extra. Mas os salários pagos ainda são baixos.

O garçom Charles Roberto Souza Mamede, de Bauru, trocou a cidade do interior paulista pelo Litoral catarinense para trabalhar. Chegou ao Estado no início de dezembro e conseguiu um emprego temporário num hotel, onde ganhava R$ 450. Apenas com ensino médio completo, achou o salário insuficiente e buscou uma nova ocupação, desta vez na beira da praia, em um bar em Jurerê Internacional.

– Agora melhorou. Ganhamos por comissão e dá para vender bem em dia de praia cheia. Gostei tanto que pretendo ficar por aqui, trabalhando sempre na área de turismo.

Para o guia turístico Iuri Dallasta, de Caçador, a remuneração no Litoral catarinense ainda é baixa. Formado em Turismo, já foi guia na Argentina, trabalhando com grupos de pesca. Quer atuar como guia em Florianópolis também, mas ainda não conhece bem a Capital e está fazendo um “bico” como garçom num bar na beira-mar de Jurerê.

– Os salários são baixos para o lugar e para o alto custo de vida.

Sem preocupações com salários, os cariocas Max Martins e Jorge Martins, vieram pela primeira vez curtir férias em Florianópolis, dispostos a gastar bem. Empresários, alugaram uma casa em Jurerê Internacional e ficam até sábado, gastando R$ 2 mil por dia.

(Simone Kefruni, DC, 01/02/2007)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *