Viadutos funcionam antes de setembro
16/01/2007
Casarão gera protestos de comerciantes
17/01/2007

Ponto para atracação fica pronto até o fim de semana

A parte mais difícil de toda a novela para instalar uma âncora que facilite o atracamento de transatlânticos no Norte da Ilha foi completada, com sucesso, neste fim de semana. Mesmo com o forte vento Sul no domingo, a poita de 22 toneladas foi fundeada sem imprevistos, nas coordenadas exatas em que foi solicitado, de acordo com coordenador-geral da operação, Ernesto São Thiago.

Hoje funcionários da Santur, órgão oficial do turismo no Estado, estarão na Petrobras em Macaé (RJ), para buscar a bóia sinalizadora que será amarrada à âncora. O presidente da Santur, Marcílio Ávila, prevê que até este fim de semana o procedimento de amarração seja completado – o objetivo é estar tudo pronto para receber o navio Island Escape, com 1,7 mil turistas, na terça-feira. Pela falta da âncora, dois navios que navegam pela costa brasileira já passaram por Florianópolis sem poder desembarcar passageiros, inclusive o próprio Island Escape.

Facilitar o desembarque de turistas vindos de navio tem objetivo naturalmente turístico, mas vai além da temporada de verão – é encarado como mais uma porta de entrada de turistas além das modalidades aérea e rodoviária, de carro ou ônibus, que por enquanto ainda nem é considerada nas pesquisas de demanda turística da Santur.

“Os turistas que vêm de navio terão um receptivo igual ao que apresentamos aos que chegam de vôos charter”, explica Marcílio, referindo-se ao material de divulgação do Estado, mostrando as diversas etnias colonizadoras, festas de Carnaval e diversas outras opções de destino turístico catarinense nas quatro estações do ano.

De efeitos econômicos imediatos, ele destaca ainda que cada passageiro paga US$ 3 para desembarcar, e estima que, uma vez em terra, gaste em média US$ 100 no comércio, restaurantes e serviços locais. Pelo menos outros seis navios são esperados em Florianópolis até o fim de março, segundo a escala disponível na página de internet da Santur.

“Hoje tudo depende de sorte”

“Hoje a atracação dos navios ainda depende muito da sorte, navios só param em caso de tempo muito favorável e sem vento; caso contrário, eles balançam muito”, disse o coordenador da operação de colocada da poita, Ernesto São Thiago. Amarrada de um lado na âncora fixa, a embarcação poderá se estabilizar lançando a âncora própria do outro lado. “Dessa forma, o lado abrigado do vento ficará calmo que nem uma piscina, o que facilita o desembarque dos passageiros”, explicou São Thiago.

A poita foi instalada na linha do trapiche hoje utilizado pelas escunas que operam em Canasvieiras, a aproximadamente dois quilômetros a partir da linha da areia. Depois de instalada, a bóia poderá ser localizada visualmente ou por satélite, o que permitirá atracação sob qualquer condição climática ou de visibilidade.

Todo o equipamento foi conseguido com a Petrobras, com o custo de R$ 60 mil, pagos pela Prefeitura. A logística ficou sob responsabilidade da Santur. Depois de completada com a bóia, o equipamento todo pode chegar a pesar 25 toneladas. As coordenadas para a instalação da poita foram sugeridas pelo vice-presidente internacional da empresa de transatlânticos Island Cruises, Jurgen Balon. “Ele consultou três de seus comandantes, que em consenso escolheram aquele ponto, e a Capitania dos Portos aceitou a sugestão”, relata São Thiago.

DESVIO PARA A ILHA

A Royal Caribbean, com 50% de capital da Island Cruises, detém 70% dos cruzeiros que navegam pela costa brasileira. “É de interesse deles ter mais pontos para atracar, tanto que a Santur está considerando as baías de Porto Belo e São Francisco do Sul para instalar mais âncoras”, disse o coordenador.

A tendência, segundo São Tiago, é que a partir da âncora funcionando haja uma inversão da demanda – as companhias de cruzeiros devem começar a correr atrás para parar em Florianópolis. “Como a âncora comporta apenas um navio por vez, já estão prevendo uma agenda com escalonamento mais apertado”, disse.
(André Lückman, A Notícia, 16/01/2007)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

3 Comentários

  1. Ernesto São Thiago disse:

    Amigos, agradeço o registro, contudo, esta é uma solução apenas paliativa.

    O amor a esta terra maravilhosa, à sua gente, é o ponto de ligação que nos une.

    O mercado de cruzeiros no Brasil cresceu 200% nos dois últimos anos.

    Na próxima temporada serão no mínimo 15 navios e estão previstos mais de 20 para a temporada 2008/2009.

    Desde que seja oferecida a infraestrutura necessária vejo nos navios de cruzeiro o futuro turístico desta cidade, pois o rigor ambiental e sanitário deles é altíssimo, inclusive com certificação do RINA, Relatório Italiano Naval, que concede a \”Green Star\” aos navios que navegam com graus desprezíveis de poluição.

    Minha visão, endossada pelo seo Arlindo, da Pioneira da Costa, é um Porto Turístico para 3 transatlânticos aproveitando o aterro que está sendo feito para a beira-mar continental, no Estreito.

    Seria erguido alí um charmoso centro comercial-cultural-gastronômico, de arquitetura açoriana, dotado de alfândega, bares e restaurantes, lojas voltadas tanto para a comunidade daqui como para os passageiros dos navios, especialmente de artesanato local.

    Uma espécie de Bayside, de Miami, com um corte açoriano.

    Seria a redenção do Estreito, movimentado por um comércio de qualidade e turistas de alto-nível!!!

    E imagine que linda vista teríamos a partir da ilha com os navios iluminados à noite…

    O parque hoteleiro local também seria beneficiado, pois minha idéia, já exposta à diretoria da ABREMAR, a entidade que congrega os representantes de cruzeiro no Brasil, é que Floripa passe a ser ponto de embarque e desembarque, O ANO TODO, de cruzeiros para o Cone Sul (Uruguai, Argentina e Chile), o que seria um grande diferencial, pois provocaria a estadia por aqui, nos hotéis da cidade, por 1 ou mais dias, dos passageiros destes cruzeiros, como ocorre em Miami por conta dos cruzeiros que partem para o Caribe e dele retornam.

    Todas estas idéias já expus ao Gilmar Knaesel, ao Marcílio Ávila e ao Aurélio Remor, que em tudo concordaram.

    O Porto Turístico de Florianópolis seria concedido à iniciativa privada por 30 anos, para exploração da movimentação portuária e do centro comercial, em troca da dragagem do Canal Norte, que custa milhões de dólares.

    Por estar junto à via expressa, a logística fica favorecida, tirando os turistas no nó viário que é o Norte da Ilha.

    Tudo sem um centavo de recursos públicos.

    A maior empresa do Brasil na construção de portos, sediada no Rio, entrou em contato comigo, interessada no projeto por indicação de um tio meu que foi Administrador do Porto de São Francisco do Sul, o Arnaldo S.Thiago, também ex-vice-prefeito de SFS.

    Tenho também livre trânsito junto à Capitania dos Portos em razão da noticiada faina relacionada à colocação da bóia para cruzeiros em Canasvieiras. O comandante tornou-se meu amigo pessoal.

    Estou à disposição para maiores esclarecimentos e gostaria muito de integrar a \”Floripa Amanhã\” para dar curso a estas idéias.

    Favor encaminhar esta mensagem para meu primo Heraldo S.Thiago.

    Atenciosamente,

    Ernesto São Thiago

  2. […] “Desde que seja oferecida a infra-estrutura necessária vejo nos navios de cruzeiro o futuro turístico desta cidade, pois o rigor ambiental e sanitário deles é altíssimo, inclusive com certificação do RINA, Relatório Italiano Naval, que concede a “Green Star” aos navios que navegam com graus desprezíveis de poluição. Minha visão é um Porto Turístico para 3 transatlânticos aproveitando o aterro que está sendo feito para a beira-mar continental, no Estreito”. Ernesto São Thiago, em comentário publicado no site floripamanha.org sobre a notícia Ponto para atracação fica pronto até o fim de semana. Este artigo foi publicado em 6/02/07 às 7:16. Palavras-chave (tags): opiniões, interatividade, palavra do leitor, sugestões Você pode acompanhar todas as respostas a este artigo através da alimentação por RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta. No momento não é possível criar um trackback. Deixe seu Comentário […]

  3. rogerio israel portela de lima disse:

    olha o que eu tenho para falar….gosto de navios desde os 5 anos e tenho uma ideia……………de comtriir um navio como o titanic com asessorios finos e por dentro com altissima teclonogia como os navios modernos de hoje em dia espero que voçes asentei essa ideia.. escumtem o que eu tenho para falar as pessoa adorarian viajar num navio assim…siqui serem saber mas sobre a minha grande ideia………………………….meprocurem no orkut. sou de paraguaçu paulista sp o idereso e o do e-mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *