Shopping terá de cumprir acordo
22/09/2006
Degradação no Córrego Grande leva população a acionar MP
22/09/2006

O secretário de Obras de Florianópolis, Aurélio Remor, disse que o relatório sobre as obras da Beira-mar Continental será entregue para a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Fatma), responsável pelo licenciamento, que terá 15 dias para vistoriar a construção da avenida e sete para analisar a documentação a ser encaminhada pela Prefeitura. Em audiência realizada na última quarta-feira, O MPF acusou o município de descumprir acordo que permitiu o andamento das obras. O juiz federal substituto Zenildo Bodnar concluiu que houve descumprimento parcial porque a Prefeitura não realizou o monitoramento diário dos parâmetros de turbidez da água. A procuradora da República, Analúcia Hartmann alegou ainda que a obra foi iniciada antes da complementação dos estudos necessários. O MPF pediu a suspensão imediata das obras.
(A Notícia, 22/06/2006)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

1 Comentário

  1. Mario d Acampora disse:

    Gostaria que os Órgãos de Meio Ambiente tivessem bom senso e trabalhassem a favor dos anseios da comunidade orientando e acompanhando efetivamente as obras que podem trazer danos ecológicos. Neste caso da beira-mar Continental, sua ação deveria ser de cooperação, dentro do entendimento de que a obra é necessária e urgente, e que deve ter seus requisitos de meio ambiente assegurados. Infelizmente os órgãos de meio ambiente trabalham apenas como polícia (ou seria política?). Por outro lado, o Ministério Público tem a azeda função de julgar essas brigas cujas origens, pautadas a primeira vista em pequenos fatos reais, podem ser politicamente obscuras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *