Suspenso corte de pinus no Rio Vermelho
13/09/2006
Reserva do Rio Vermelho
13/09/2006

Pressionar a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento de Santa Catarina (Casan) a concluir o sistema de saneamento básico de Jurerê, Praia do Forte e Daniela é o principal motivo da audiência pública marcada para hoje, às 19 horas, no templo ecumênico em Jurerê Internacional. As obras foram iniciadas há cinco anos e desde então estão paralisadas, de acordo com o presidente do Fórum das Associações Comunitárias da Bacia do Rio Ratones, Jorge Alberto Busato. “Queremos saber os motivos da não continuidade dos trabalhos e cobrar o acordo firmado entre a companhia e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) que não está sendo cumprido”, cobrou.

O empresário destaca que somente as redes de Jurerê Leste estão prontas, faltando ainda as tubulações da área entre Jurerê e Canasvieiras, Forte São José da Ponta Grossa e Daniela, estação de tratamento de esgoto e emissário submarino.

Busato informou que na ocasião também serão discutidos a implantação de outros sistemas na orla da Bacia do Rio Ratones. “A execução de estudos e projetos para o saneamento no interior da bacia, nas localidades de Ratones, Vargem do Bom Jesus e Cachoeira do Bom Jesus também é uma necessidade urgente”, argumentou. O presidente explicou que o crescimento populacional na área é intenso e o esgoto está sendo jogado diretamente nos rios que formam a bacia. “Em alguns pontos os níveis de coliformes fecais na água já são alarmantes”, comentou.

Ainda na pauta da reunião estão a adequação dos sistemas individuais de esgoto e a apresentação de propostas e encaminhamentos. O empresário disse que a recente assinatura de projeto para a conclusão do sistema de saneamento nos Ingleses gerou a expectativa de que as obras dos sistema Jurerê/Forte/Daniela sejam reiniciadas no início de 2007. “A pressão da sociedade será fundamental no processo”, acredita.

Estarão presentes no encontro representantes do MPSC, Casan, Fundação do Meio Ambiente de Florianópolis (Floram), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Vigilância Sanitária, Secretária de Habitação do município e associações comunitárias dos bairros localizados no entorno da bacia, como Associação de Moradores e Proprietários de Jurerê Internacional (Ajin), Associação de Moradores da Praia do Forte (Amprafo) e Conselho Comunitário da Daniela (CCDan).

Bacia do rio Ratones envolve 12 bairros e é a maior da Ilha

A Bacia Hidrográfica do Rio Ratones situa-se na porção noroeste da Ilha de Santa Catarina. Totalizando 61 quilômetros quadrados de área, é a mais extensa da Ilha, formada principalmente pelos rios Ratones, Papaquara e Veríssimo. Possui vários cursos de água menores que drenam para a baía Norte. A bacia abrange as comunidades de Ratones, Jurerê, Jurerê internacional, Praia do Forte, Daniela, Santo Antônio de Lisboa, Barra do Sambaqui, Cachoeira do Bom Jesus, Canasvieiras, Vargem do Bom Jesus, Vargem Grande e Vargem Pequena.

Considerando uma projeção linear baseada nos dados do censo 2000 e na estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a população de Florianópolis em 2005, a Bacia do Rio Ratones tem cerca de 40 mil habitantes. A projeção é considerada conservadora porque a população do Norte da Ilha teve um crescimento superior a média da cidade nos últimos.
Os altos índices de crescimento e adensamento populacional e a ocupação urbana desordenada são as piores ameaças à Bacia Hidrográfica do Rio Ratones e a falta de saneamento básico lidera a lista de problemas que atingem a área.

Sistema de esgoto da Barra é inaugurado

A Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) inaugura hoje à noite o sistema de esgoto sanitário da Barra da Lagoa. A nova estação fica SC_406, junto ao Parque Florestal do Rio Vermelho. Cerca de 10 mil pessoas mais o número estimado na alta temporada de 10 mil veranistas serão beneficiados. O investimento foi de R$ 11,1 milhões, com 70% de recursos próprios da Casan e 30% financiados pela Caixa Econômica Federal.

A companhia começou a construir o sistema em agosto de 1999, mas a obra parou em outubro de 2002 por falta de recursos. O trabalho só foi retomado mais de dois anos e meio depois, em maio do ano passado, após investimento de R$ 4,8 milhões. A paralisação da obra deixou a rede de coleta pronta na maior parte, mas sem a estação para tratar o esgoto. A rede tem 17,6 quilômetros de extensão, cinco estações elevatórias e cinco emissários que se estendem por mais 3,5 quilômetros. A estação vai receber também o esgoto da Costa da Lagoa, transportado até lá por um emissário subaquático.

A partir desta semana, a Casan começa a informar aos proprietários de imóveis da região sobre como proceder para fazer a ligação de esgoto à nova rede. A responsabilidade pela execução destes serviços é do proprietário do imóvel. A empresa alerta ainda que as fossas e sumidouros existentes devem ser desativados e que as ligações clandestinas e irregulares são passíveis de multa.

Mas o maior apelo é no sentido de que todos colaborem com a preservação da Lagoa da Conceição, já que a qualidade da água deve melhorar. O sistema de tratamento de esgoto da Barra faz parte de uma série de investimentos públicos realizados nos últimos anos para o saneamento da região do entorno da Lagoa da Conceição.
(Gisa Frantz, A Notícia, 13/09/2006)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *