UFSC inicia debate sobre Plano Diretor da Capital
04/08/2006
Revendo conceitos
05/08/2006

Passarelas da cidade precisam de reparos

As passarelas de pedestres sobre as avenidas Beira-mar Norte e da Saudade, próximo ao Centro Integrado de Cultura (CIC), estão com parte do sistema de iluminação destruídos, dificultando a utilização delas no período noturno. “Começaram a roubar e destruir as lâmpadas logo depois da inauguração das passarelas”, disse um morador do bairro da Agronômica que caminha quase todos os dias pelo local. “É o vandalismo”, acrescentou.

Em alguns pontos, as luminárias foram deslocadas para a retirada das lâmpadas e há lugares onde não há mais nem lâmpadas, nem luminárias. Alguns fios também estão expostos, indicando tentativas de furtos de materiais. “Eu não gosto de passar por aqui de dia, mas a gente é obrigado a fazer isso. Mas de noite ninguém me obriga a fazer isso”, contou Dalva de Oliveira Piemontez, 36 anos, doméstica que mora no bairro João Paulo e trabalho na Trindade.

Na passarela que liga os bairros da Trindade e Santa Mônica, sobre a avenida Beira-Mar Norte, os problemas vão desde ferragens expostas já tomadas pela ferrugem, passando pela existência de grades laterais de proteção soltas, até a falta de cuidado com os dez vasos de uma trepadeira (bouganville). “No começo eu ainda dava água para elas, mas depois achei que era um abuso e parei de molhar”, contou Etelvina Menezes Santos, 57 anos, residente no bairro Santa Mônica.

A ferrugem também começou a aparecer na passarela sobre a avenida Gustavo Richard, ligando a área central da cidade ao Centro de Convenções (CentroSul), principalmente nas grades laterais de proteção. A passarela é usada por milhares de pessoas todos os dias, aumentando significativamente durante eventos e feiras. Já a passarela mais antiga de Florianópolis, a que serve de acesso ao Terminal Rita Maria, é a que se encontra em melhor estado de conservação.

Limpeza na Barra foi normal

O presidente da Associação Amigos da Barra da Lagoa, Ênio Marino, esclarece que não houve negligência por parte dos organizadores da Festa Julina ocorrida na comunidade nos dias 28, 29 e 30 de julho. A afirmação contrapõe as acusações do coordenador do Fórum da Barra, Ivanildo Floriano, que reclamou do lixo acumulado no local na segunda-feira, em reportagem publicada no ANCapital. Marino explicou que a festa terminou na madrugada de domingo. “Na segunda-feira foram retiradas as barraquinhas de alimentação, laje de assados, parquinho e palco de apresentações”, declarou. A segunda parte do processo, ou seja, a limpeza da praia, foi realizada pelos funcionários da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap) ainda na madrugada de terça-feira e no final da tarde a área já estava completamente limpa, de acordo com o líder comunitário.

Ênio informou ainda que a segunda edição da festa foi um sucesso. “Conseguimos reunir 3,5 mil pessoas apesar do frio intenso”, declarou. O presidente disse que a iniciativa objetiva trazer mais opções de lazer aos moradores no inverno, assim como promover a confraternização entre a comunidade e os visitantes. “Se Ivanildo ficou descontente com alguma coisa deveria ter nos procurado para conversar”, reclamou.

Prefeitura admite dificuldade na manutenção

O secretário-adjunto de Obras de Florianópolis, Carlos Schwabe, confirmou a existência de dificuldades na manutenção do sistema de iluminação das passarelas próximas ao CIC, “onde já realizamos três vistorias esse ano, com a substituição das lâmpadas e luminárias furtadas”, disse. “Desde o início da atual administração, substituímos 30 folhas da cobertura dessas passarelas que aparentemente foram levadas pelo vento, mas que podem estar cobrindo residências da região”.

Segundo Schwabe, será necessária a realização de uma nova vistoria para verificar “aquilo que for mais urgente e consertar imediatamente”, disse. A passarela entre a Trindade e o Santa Mônica foi vistoriada em fevereiro desse ano, tendo sido encontrados vestígios de vandalismo e constatado o furto de partes do guarda-corpo de concreto, entre outros problemas. “Vamos retornar a todos esses locais e realizar novas vistorias”, complementou Schwabe.
(Celso Martins, A Notícia, 05/08/2006)

mm
Monitoramento de Mídia
A FloripAmanhã realiza um monitoramento de mídia para seleção e republicação de notícias relacionadas com o foco da Associação. No jornalismo esta atividade é chamada de "Clipping". As notícias veiculadas em nossa seção Clipping não necessariamente refletem a posição da FloripAmanhã e são de responsabilidade dos veículos e assessorias de imprensa citados como fonte. O objetivo da Associação é promover o debate e o conhecimento sobre temas como planejamento urbano, meio ambiente, economia criativa, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *